Total de visualizações de página

terça-feira, 31 de janeiro de 2012

A CURA x264

NEM SEMPRE FILHO DE PEIXE É PEIXINHO

E, subindo Jeorão ao reino de seu pai e havendo-se fortificado, matou todos os seus irmãos à espada, como também alguns dos príncipes de Israel.


2 Crônicas 21.4


Josafá foi um grande homem de Deus, que soube escutar a voz do Senhor e obedecer a Ele. Porém, esse rei não conseguiu fazer com que seu primogênito, Jeorão, além de herdeiro, fosse um bem-sucedido sucessor. Infelizmente, muitos servos do Altíssimo não abrem os olhos para ver se a família está ou não na fé. Com isso, são surpreendidos com atitudes descontroladas dos seus, que lhes trazem dor, sofrimento e vergonha.


Esse governante se preocupou com o futuro material de seus filhos; porém, o mais importante – o temor do Senhor – foi deixado de lado. Se a Boa Semente não for plantada, o inimigo semeará sua imundície e, com isso, não nascerá bom fruto. Não é por acaso que escutamos que familiares do povo de Deus são surpreendidos nos caminhos do mal. Por isso, é preciso que vigiemos e oremos para que os nossos não entrem em tentação (Mc 14.38).


Josafá determinou que Jeorão fosse seu sucessor. Provavelmente, a escolha se deu por vontade dele, e não de Deus, pois seu filho se mostrou uma pessoa de péssimo procedimento. Erra muito quem toma decisões segundo o que parece ser certo, e não pela direção divina. Na casa de Jessé, o profeta Samuel ficou impressionado com o filho mais velho daquele homem, porém ele não era o escolhido do Senhor, mas, sim, o jovem Davi.


Cedo, o rei Jeorão mostrou que era mau. Tão logo o reino lhe foi confirmado, ele, tendo-se fortalecido, fez o que já tinha premeditado: matou todos os seus irmãos. A pessoa mal-intencionada deve ser evitada, pois, quando as condições forem propícias, ela não hesitará em executar sua loucura. O homem criminoso não descansa, enquanto não vir cumprido seu perverso intento.


Não é à toa que a Palavra declara que Jeorão havia-se casado com a filha de Acabe, o perverso idólatra e feiticeiro rei de Israel. Mais uma vez, o rei Josafá errou, pois, ao permitir tal casamento, entregou o filho para ser contaminado pela louca família, a qual havia feito com que Israel se distanciasse do seu Deus.


Os que amam o Senhor não devem aceitar a companhia dos que não O temem. O fim de Jeorão foi trágico. Saiba que não há paz nem futuro para os que se dão ao pecado. Pelo seu mau comportamento, ele só reinou oito anos e, depois, entrou para a eternidade para aguardar o julgamento final. Infelizmente, fatos semelhantes têm-se repetido ao longo dos séculos, e não tem sido diferente em nossos dias. Ai de quem se vende ao diabo!


É bom verificar qual tem sido sua conduta diante dos seus familiares. Esforce-se para não ser o responsável por alguma loucura que alguém cometa. Em todos os tempos, suas vestes devem ser limpas, e, ao mesmo tempo, a unção não deve faltar sobre sua cabeça (Ec 9.8). Com isso, sua linhagem será bem-sucedida em todos os sentidos.


Em Cristo, com amor,

segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

A Comissão x264

DEUS CONVERTE A MALDIÇÃO EM BÊNÇÃO

Naquele dia, leu-se no livro de Moisés aos ouvidos do povo; e achou-se escrito nele que os amonitas e os moabitas não entrassem jamais na congregação de Deus, porquanto não tinham saído ao encontro dos filhos de Israel com pão e água; antes, assalariaram contra eles a Balaão para os amaldiçoar, ainda que o nosso Deus converteu a maldição em bênção.


Neemias 13.1,2


Os filhos de Amom e Moabe eram parentes dos israelitas; porém, por causa da maldade do coração deles, foram proibidos de entrar na congregação do Senhor. Essa é a pior parte da história: um povo inteiro proibido de entrar na casa de Deus.


Essa proibição não se deu pelo fato de eles terem sido gerados por incesto, pois eram descendentes dos filhos de Ló, sobrinho de Abraão, com suas duas filhas. O erro deles foi não ter saído com pão e água para se encontrar com os filhos de Jacó; mas, em vez disso, assalariaram Balaão para amaldiçoar o povo de Deus (Nm 22.4-6). Sempre deixe o Espírito de Deus dirigir você e não faça uso do medo para tomar decisões, pois, dessa forma, isso se tornará laço para sua vida.


Os amonitas e os moabitas sabiam que Deus estava com os filhos de Israel e, em vez de louvar o Senhor com boa atitude, optaram pelo caminho do mal. Contudo, eles não tinham noção de que o plano maligno nunca prevaleceria contra a sorte do povo santo, uma vez que Balaão não podia atender-lhes o pedido. Com a operação divina, esse profeta revelou um decreto de Deus, que diz: Pois contra Jacó não vale encantamento, nem adivinhação contra Israel (Nm 23.23).


O que parecia ser maldição tornou-se bênção, pois, desde então, as tentativas do inimigo de amaldiçoar os que são do Pai não têm logrado êxito. Veja como o Altíssimo é amigo de quem faz parte do Seu povo, pois Ele converteu a maldição em bênção. Esse é um recado para todos os que fazem parte do povo do Senhor: qualquer maldição lançada contra aqueles que temem o Altíssimo será em vão; além disso, ela irá tornar-se bênção, e fará os servos de Deus mais felizes.


Agora, entenda a mensagem do nosso Pai: Ele transforma a maldade, os desejos malignos e as maldições que lançaram sobre sua vida em bênçãos. A intervenção do Senhor é tão grande e operante, que os membros da família divina os quais foram amaldiçoados sairão muito mais abençoados do que antes.


Ninguém deve brincar com o Senhor. Sem dúvida, Ele falou ao coração daqueles povos para que fossem ao encontro de Israel com pão e água, mas eles deram ouvidos ao diabo. Quem sabe qual é a vontade do Altíssimo e não Lhe dá ouvidos, sem dúvida, perde muito. A história dos amonitas e dos moabitas está na Bíblia para nos servir de exemplo.


Veja o que o Senhor tem falado a você e coloque-se em ação. Deixar de dar ouvidos ao Altíssimo pode passar de privilégio a castigo. Ele quer usar sua vida para seu benefício eterno. Deus pensa em seu futuro, no que lhe acontecerá após a morte.


Em Cristo, com amor,

domingo, 29 de janeiro de 2012

QUANDO AS COISAS COMEÇAM A DAR ERRADO

Todavia, os edomitas se revoltaram contra o domínio de Judá até ao dia de hoje; então, no mesmo tempo, Libna se revoltou de debaixo de seu mando, porque deixara ao SENHOR, Deus de seus pais.


2 Crônicas 21.10


O erro de Jeorão foi ter deixado o Senhor. Tenho visto esse equívoco ser cometido por muita gente. Há pessoas que se deixam levar facilmente pelas coisas do mundo. Elas preferem morar em lugares deliciosos, ter boas casas, boas roupas, bons carros, o que não é errado; porém, não buscam em primeiro lugar o Reino de Deus e Sua justiça. Exatamente por causa disso, o diabo as tem em suas mãos e as oprime.


Nos dias de Jeorão, os edomitas se revoltaram contra o poder de Judá e constituíram para si um rei. Jeorão deveria ter aberto os olhos e visto que alguma coisa estava errada. O fato é que o pecado cega, e quem está nele vê até justificativa para seu equívoco. No entanto, ao primeiro sinal de que algo não está bem, os sábios entram em oração para que o Senhor lhe mostre o que precisa ser feito.


Confirmando o que a Bíblia afirma: Um abismo chama outro abismo (Sl 42.7), foi a vez de o reino de Libna revoltar-se e não querer mais o governo de Jeorão, o qual, de novo, não buscou o Senhor e fez o que as pessoas do mundo fazem. Ora, os problemas que surgem nos mostram que não estamos andando na luz, pois quem anda de dia não tropeça (Jo 11.9). O inimigo atacará ao perceber que, por causa do pecado, o Senhor não nos guardará.


Jeorão errou por ter abandonado o Altíssimo. Uma pessoa deixa o Senhor quando não mais lê a Palavra, não se consagra nem busca a direção divina. Isso acontece com uma facilidade tremenda, pois o maligno até ajuda o indivíduo a melhorar de vida, se isso afastá-lo de Deus. Então, para não cair em tentação, é preciso estar vigilante e em oração. A pessoa pode ser tentada a cometer adultério, ser desonesto e, dentre outros pecados, a não buscar o Pai.


Se as situações estão dando errado em sua vida, provavelmente, sua fé anda caída. Quem para de clamar ao Senhor fica parado na estrada da fé, sem receber as revelações que Ele concede, as quais iluminam o caminho para segui-lO. Deus sabe os planos que têm para nós; porém, nem sempre permitimos que Ele opere a vontade dEle em nosso viver.


Em vez de buscar o Altíssimo, Jeorão fez altares de idolatria nos altos e, desse modo, seduziu Jerusalém para se afastar do Deus vivo. Ora, também temos construído esses altares ao fixarmos a nossa atenção em uma casa bonita, em um belo carro, barco, nas próximas férias em algum país etc. A verdade é que quem busca encontra; quem bate a porta lhe é aberta, e quem procura acha (Lc 11.9). Deus é com aquele que segue Suas orientações.


Jeorão só conseguiu permanecer por oito anos no reinado, porque Deus não quis destruir a casa de Davi, por causa da Aliança que fizera com ele. O Senhor havia prometido dar a Davi e a seus filhos uma lâmpada. Portanto, não abuse da paciência divina.


Em Cristo, com amor,

sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

DIGNOS DA SUA VOCAÇÃO

Pelo que também rogamos sempre por vós, para que o nosso Deus vos faça dignos da sua vocação e cumpra todo desejo da sua bondade e a obra da fé com poder.


2 Tessalonicenses 1.11


Nas mensagens anteriores, estudamos um pouco sobre a intercessão, que deve ser feita em favor de todos, inclusive dos irmãos em Cristo. Temos certa autoridade sobre a pessoa a quem apresentamos o Evangelho, pois nos tornamos responsáveis por ela. Por isso, podemos abençoá-la e, ao vermos que está em perigo, devemos orar com determinação para que o mal não a domine ou destrua. Não deixe de orar por aqueles que você evangelizou.


Uma coisa a observar é que Paulo não rogava por coisa incerta, pedindo ao Senhor que, simplesmente, abençoasse os irmãos de Tessalônica. Ele era claro e objetivo em seus pedidos. Desta vez, ele enumerou três pontos pelos quais suplicava por aqueles irmãos. Seja sempre claro e preciso em seus pedidos, pois quem não sabe pedir nem sempre conseguirá o que deseja.


Para Paulo, era de suma importância que seus filhos na fé fossem dignos da chamada que tiveram. Imagine alguém não corresponder ao perdão, à cura e à libertação que recebeu. Como dói ver alguns irmãos agindo como incrédulos. Deus não nos chamou para a impureza, para o pecado, mas, sim, para participarmos de Sua natureza, santidade e de Seu poder.


Faça um autoexame e veja se você tem cumprido o que o Senhor lhe tem dito. Um dia, seremos chamados perante Sua santa presença e, então, daremos conta do que fizemos ou deixamos de fazer com os talentos que nos foram confiados (Rm 14.12). Ninguém poderá responder por nós. Se tivermos desperdiçado o ministério a nós outorgado, poderemos ser lançados nas trevas exteriores (Mt 25.30).


Se você for digno da chamada que o Altíssimo lhe fez, Ele cumprirá tudo aquilo que lhe tem prometido; afinal, a bondade divina tirou você do império da morte e o transportou para o Reino dos Céus (1 Pe 2.9). Com as condições propícias, a benignidade dEle operará maravilhas em seu benefício.  


Os planos do Onipotente para você são muitos. Na verdade, não há uma só pessoa a quem Ele recebeu por filho para a qual não tenha planejado boas coisas. Não seja o responsável por algum desejo do Senhor não se cumprir, como aconteceu com o rei Saul (1 Sm 15.11). Deus Se alegrará com seu sucesso.


Tendo o caminho aberto, o Todo-Poderoso cumprirá a obra da fé com poder em sua vida. Ele é tremendo em todas as Suas operações e só precisa que o homem creia a fim de operar o que for necessário. Busque na Palavra o que Ele tem a dizer e, então, creia. Dessa forma, você colocará o poder do Alto em operação.


Em Cristo, com amor,

quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

UM PEDIDO MUITO IMPORTANTE

Irmãos, orai por nós.


1 Tessalonicenses 5.25


Que pedido humilde e de extrema importância! A postura do apóstolo Paulo em pedir que os tessalonicenses, seus filhos na fé, orassem em favor dele e de sua equipe ministerial era mais uma demonstração de humildade e mais uma de suas lições para que não se esquecessem de que eram membros da família divina. Paulo entendia que o povo de Tessalônica possuía prerrogativas diante do Senhor que, se usadas, abençoariam qualquer pessoa.


Os cristãos de nossos dias têm aprendido que não possuem valor algum, tendo sido salvos pela graça. Parte disso é verdade, pois fomos salvos mediante a graça de nosso Senhor; mas o que levou nosso Deus a nos adotar como Seus filhos? Sem dúvida, Ele viu em nós algo que não vemos e, mais tarde, fez-nos membros da Sua família, revestindo-nos de autoridade (Jo 1.12). É um grande desperdício não utilizar tais prerrogativas em Cristo.


Como era possível o apóstolo pedir oração a pessoas que ele mesmo havia sido usado para libertar das falsas religiões e até de demônios? A verdade é que, ao sermos salvos, já não somos mais as pessoas que éramos no passado. Com a salvação, fomos justificados dos nossos erros e já não temos nenhuma condenação (Rm 8.1). Dessa forma, podemos entrar na presença divina e solicitar bênçãos para os perdidos e os que estão no Caminho também.


Os salvos são membros uns dos outros, de forma que a oração pelos irmãos deve ser o ato mais natural para quem faz parte do Corpo de Cristo. Ao tomarmos conhecimento de que algum irmão encontra-se em uma situação difícil, seja doença, pecado, perseguição, ou outro ataque infernal, cabe a nós interceder por ele. Deus precisa de pessoas que se coloquem na brecha (Ez 22.30), fazendo uma ponte para que Ele possa atender o necessitado.


A Palavra do Senhor afirma que a oração feita pelo justo pode muito em seus efeitos (Tg 5.16), e quem nasceu de novo tornou-se justiça de Deus (2 Co 5.21). Assim sendo, quando essa nova criatura intercede por uma pessoa, ela consegue que o Senhor Deus opere em favor daquela vida. Os filhos do Altíssimo dos dias atuais deveriam ser mais ativos na fé e, assim, aqueles que estivessem em alguma dificuldade seriam atendidos em suas necessidades. 


Seria bom que o cristão, quer seja ministro da Palavra ou leigo, não agisse como Pedro, o qual desprezou a intercessão do Mestre (leia Lucas 22.31-34). Por pouco Abraão não conseguiu com que as cidades da região de Sodoma não fossem destruídas (Gn 18.23-33). Não despreze o clamor de alguém em seu favor e, ao mesmo tempo, não se envergonhe de pedir orações. Deus sempre tem alguém preparado para orar pela sua vida.


Diante da terrível perseguição que se levantava, a Igreja em Jerusalém orava ao Senhor, a fim de que Ele a usasse mais na ministração da Palavra e na operação de milagres. Resultado: a obra de Deus avançou, e milhares foram salvos. Sem dúvida, você, sua família e a Igreja crescerão muito se alguém assumir o ministério de intercessor.


Em Cristo, com amor,

quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

FORTIFICAR NA GRAÇA

Tu, pois, meu filho, fortifica-te na graça que há em Cristo Jesus.


2 Timóteo 2.1


Com o pecado cometido por Adão, a natureza de Satanás entrou no mundo e passou a reinar sobre todas as pessoas. Então, somente aquelas que se esforçavam muito para cumprir tudo o que a Lei divina requeria conseguiam ter sucesso na vida espiritual. Assim sendo, os que se tornavam servos do Altíssimo deixavam o domínio do diabo. No entanto, nenhum deles tinha acesso direto ao Criador nem era completamente liberto da opressão do inimigo (leia Hebreus 10.1-10).


Isso durou até que o Senhor enviasse a graça ao mundo, o que ocorreu com a vinda de Jesus. O Filho de Deus trouxe a graça e a verdade (Jo 1.17), e, ao morrer no Calvário, aniquilou aquele que tinha o poder da morte – Satanás. A partir de então, todos aqueles que aceitassem Seu sacrifício, recebendo-O como Senhor e Salvador da vida deles, seriam libertos do império das trevas e transportados para o reino do Filho do seu amor (Cl 1.13).


Mediante a obra sacrificial na cruz, a graça de Deus começou a imperar, mas a Lei foi cumprida em sua totalidade por nosso Salvador. Hoje, para desfrutar de tudo isso, basta que o ser humano decida receber Jesus como Senhor de sua vida e faça a vontade de Deus, revelada por meio da Palavra ao coração de cada um. Quem assim o faz sai do cativeiro do diabo e passa a ser um cidadão livre no Reino celeste. 


A graça é mais do que um favor imerecido, é o mover do Deus santo e poderoso em benefício da humanidade. Quem a despreza jamais consegue livrar-se do diabo; no entanto, quem a aceita experimenta o favor divino. O Altíssimo age a fim de curar, prosperar, libertar e salvar a pessoa que se rende a Ele e crê em Suas promessas. Ele já fez tudo para que vivamos em Sua presença.


Paulo demonstra muito carinho em relação ao jovem pregador Timóteo ao chamá-lo de filho. Por ter alcançado a graça divina sob seu ministério, Timóteo era como um herdeiro do apóstolo. Afinal, os que se achegam a Deus por nosso intermédio passam a ser participantes da mesma graça que obtivemos em nossa chamada para sermos participantes da natureza e das bênçãos do Senhor.


Quem foi alvo dessa abençoada obra não deve parar de progredir, mas, sim, fortificar-se na graça. Aqueles que, após a conversão, nada fazem para alcançar novos patamares na fé não chegarão a participar de tudo aquilo que o Deus eterno tem para os Seus filhos. O que acontece na vida natural reflete-se na espiritual. Nascemos como crianças indefesas, mas com o potencial de chegarmos a ser adultos fortes. Ao nos fortalecermos, atingimos tal posição.


A graça não está no ar, para ser pega a qualquer momento, mas, sim, na Pessoa de Cristo. Se O recebermos como Salvador e O mantivermos como tal, seremos participantes da graça de Deus e aprenderemos o que as Escrituras dizem a nosso respeito. Quem cumpre o que lhe é ordenado tem acesso ao mover de Deus e, com isso, em Cristo, pode tudo.


Em Cristo, com amor,

terça-feira, 24 de janeiro de 2012

GERAÇÃO PERFEITA

Vós sois os filhos dos profetas e do concerto que Deus fez com nossos pais, dizendo a Abraão: Na tua descendência serão benditas todas as famílias da terra.


Atos 3.25


A nossa fé em Cristo nos fez especiais em todos os sentidos. Somos filhos de Deus e, por isso, quando precisamos, podemos entrar na presença divina e reivindicar a ajuda da qual precisamos. Temos o direito de usar o Nome de Jesus, a quem foi dada a autoridade plena sobre o poder do maligno. O acesso ao Pai nos foi concedido a fim de que supríssemos todas as nossas necessidades e fôssemos guardados pelo amor de Deus.


A Palavra declara que somos filhos dos profetas e da Aliança que o Senhor fez com os patriarcas, e isso é muito esclarecedor para nós. Em Romanos, o apóstolo Paulo declara que somos mais que vencedores em todas as situações (Rm 8.37). O melhor é que não há a menor hipótese de essa bênção ser revogada, pois tudo o que a Escritura revela ser nosso em Cristo está garantido no “pacote” da salvação.


Ao dizer que somos filhos dos profetas, a Palavra informa que temos direitos inalienáveis. Qualquer pessoa que descende de outra não tem de fazer nada para ser seu herdeiro, pois já o é desde o nascimento. O mesmo ocorre em relação a nós: somos filhos daqueles que foram usados pelo Senhor no cumprimento do Seu plano e, pela obediência deles, conquistaram promessas. Nós somos proprietários de todas elas.


Somos também filhos do Concerto que o Senhor fez com o homem na cruz do Calvário, realizado por meio do sangue de Jesus. A Nova Aliança é uma obra completa em todos os sentidos; estando nEla, jamais seremos separados do Altíssimo. Os nossos pecados foram colocados em Cristo e, por isso, não há mais nenhuma condenação em nossa ficha (2 Co 5.21; Rm 8.1). A nossa união com o Pai é eterna e irrevogável.


Os salvos devem crer que são herdeiros de todas as promessas que Deus fez com Abraão, Isaque e Jacó, os quais as conquistaram, para que, hoje, fôssemos mais do que vencedores. Se você crer, de fato, no que dizem as Escrituras, não haverá uma só batalha perdida. O cristão que conhece seus direitos já entra na luta sabendo que será vitorioso. Para alcançar o sucesso, basta crer, pois ele já foi conquistado.


Somos benditos como descendência espiritual dos patriarcas dos hebreus, e até mesmo aqueles que descendem deles pelo sangue são sua descendência espiritual. Veja nas Escrituras o que foi prometido à descendência de Abraão e considere aquela promessa como sua, pois é isso o que diz a Palavra que estamos estudando.


Perceba que o texto está no presente: Vós sois. A Bíblia não diz que, um dia, seremos filhos dos profetas e da Aliança. Já o somos agora. Então, por que não começar a desfrutar dos seus direitos em Cristo? Aquilo que a mente humana nunca entendeu, os ouvidos nunca ouviram e os olhos nunca viram é o que está preparado para nós (1 Co 2.9).


Em Cristo, com amor,

segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

É PRECISO DESVIAR-SE DA MALDADE

Ressuscitando Deus a seu Filho Jesus, primeiro o enviou a vós, para que nisso vos abençoasse, e vos desviasse, a cada um, das vossas maldades.


Atos 3.26


Entender a ressurreição de Cristo é fundamental para o nosso sucesso na fé. Sabemos que Ele morreu em nosso favor, carregando os nossos pecados, as nossas doenças e o castigo que nos traz a paz (Is 53.5). Porém, se Ele não tivesse ressuscitado, a nossa fé seria vã. A Sua ressurreição, realizada pelo próprio Espírito de Deus, selou para sempre a derrota de Satanás, pois, ao sair do reino das trevas, o Salvador trouxe Consigo as chaves da morte e do Inferno (Ap 1.18).


A morte não pôde segurá-lO em suas garras; ela foi derrotada para sempre quando Ele tomou a autoridade que ela possuía. O Senhor fez tudo isso em nosso benefício, de modo que vencemos aquele que tinha poder sobre nós. A obra foi perfeita em todos os sentidos, por isso nada precisa ser feito para melhorá-la. 


Pregar a mensagem do Evangelho é muito importante, e, ao fazermos isso, levamos Jesus ao coração de quem nos ouve. Pela santidade desse ato, não podemos estar em pecado nem realizar a obra de qualquer jeito (Jr 48.10). Por isso, procure sempre estar em consagração, consciente de que será usado pelo Altíssimo para a execução de Seu plano. Evite usar exemplo pessoal para que a obra não seja de algum modo viciada.


O propósito da pregação da Boa Notícia é abençoar as pessoas. Ao anunciar o Filho de Deus aos perdidos, você está levando a melhor e maior de todas as bênçãos, pois, ao ouvirem a pregação do Evangelho, muitos podem ser salvos. Então, fundamente-se na Palavra e não insira regras ou conceitos inventados pelo homem. Não use nada que possa servir de obstáculo para a operação divina.


A Palavra de Deus tem a capacidade de nos desviar das maldades que praticamos, as quais nos fazem sofrer; além disso, limpa o homem de todos os erros existentes na vida dele. Ao ministrar a Palavra, o homem se qualifica como obreiro de primeira grandeza, pois a mensagem que ele transmite, por ser sem igual, capacita-o naquele momento.


Quem não der ouvidos aos mensageiros divinos não poderá ser incluído no grupo dos salvos. Não há outro meio de alcançar a vida eterna, a não ser crer no Evangelho. Aqueles que, por alguma razão, decidem não atentar para aquilo que o Senhor lhes diz perdem a oportunidade de receber a salvação e, desse modo, nunca serão feitos filhos de Deus (Jo 1.12).


Tendo em vista o que o Evangelho representa, a nossa responsabilidade em ministrá-lO é gigantesca. Se você estiver fechando o maior negócio da sua vida e, naquele instante, o Altíssimo começar a usá-lo como mensageiro das Boas-Novas, deixe de lado o que lhe daria um grande lucro e fale do amor divino, pois o Senhor o colocou na melhor posição.


Em Cristo, com amor,

domingo, 22 de janeiro de 2012

O NOSSO ALVO

Para o que, pelo nosso evangelho, vos chamou, para alcançardes a glória de nosso Senhor Jesus Cristo.


2 Tessalonicenses 2.14


Paulo fala de nosso Evangelho, demonstrando que a Boa Notícia que o Senhor Jesus mandou que pregássemos a toda criatura é de nossa propriedade. Na verdade, quando a Palavra de Deus nos alcançou, a voz do Altíssimo nos fez entender o plano da salvação e, pelo fato de ela ter sido enviada a nós, passou a ser um bem nosso. Como todo dom, o Evangelho que nos salva nunca nos será tirado.


As Boas-Novas nos chamam para uma série de bênçãos, sendo a maior delas a salvação da nossa alma. Uma vez salvos, se perseverarmos até o fim, jamais pereceremos. A salvação nos enriquece com aquilo que foi conquistado para nós: a cura divina (Is 53.4,5), o perdão dos pecados (Mt 9.6), a prosperidade (Ml 3.10), o acesso livre a Deus (Ef 2.18), dentre tantas outras dádivas das quais passamos a tomar conhecimento por meio da Palavra do Senhor. Tudo isso nos é dado gratuitamente.


Os salvos só precisam dar ouvidos à Palavra para que o Espírito Santo lhes abra o entendimento sobre o que lhes pertence em Cristo. Ao tomar conhecimento do que é seu, coloque aquilo como prioridade e, destemidamente, assuma com fé que irá cumprir-se. Não podemos exigir nada de Deus, mas, em Nome de Jesus, é possível ordenar que o mal vá embora. Além disso, devemos reivindicar que aquilo que nos foi prometido se materialize.


O nosso alvo é alcançar a glória de nosso Senhor Jesus Cristo, e isso é simplesmente demais, pois não há glória maior do que aquela da qual desfrutava o Filho de Deus. Imagine o que nos está sendo proposto: não temos de buscar a glória de Abraão, o pai dos fiéis, a qual já seria bem grande; nem a do rei Davi, que foi o maior governante da história de Israel; tampouco a de Moisés, o maior libertador e legislador que existiu. Temos de ansiar pela glória do Unigênito Filho de Deus, que é Deus junto com o Pai.


Jesus tinha livre acesso ao Altíssimo, e o Mestre não conhecia derrota, pois tinha a convicção de que o céu e a terra passariam, mas Suas palavras não (Mt 24.35). Ele sabia o que o homem pensava sem que alguém precisasse Lhe falar. O Filho de Deus jamais deixou de obter sucesso em Suas orações. Ele era Deus em todos os momentos, Senhor sobre todas as coisas e, ao mesmo tempo, homem como qualquer outro ser humano. Ele veio mostrar-nos o que pode acontecer com quem é fiel ao Pai.


Precisamos ter em mente o alvo que o Senhor deu a cada um de nós: buscarmos a glória concedida ao Salvador da humanidade. Cristo não deixou por menos, pois sempre a buscou e a exerceu com todas as Suas forças. Deus espera o mesmo de nós, para que O glorifiquemos.


Amigo, se você deixar passar a oportunidade de alcançar a glória de Jesus, estará em falta com o plano do Senhor para sua vida. No entanto, se buscá-la, dará adeus a todos os seus fracassos e boas-vindas às bênçãos divinas.


Em Cristo, com amor,

sábado, 21 de janeiro de 2012

UMA DECLARAÇÃO E DOIS PEDIDOS

Em ti, SENHOR, confio; nunca me deixes confundido; livra-me pela tua justiça.


Salmo 31.1


Com essa declaração, o salmista demonstra que tinha provado o amor de Deus. Ninguém confia no outro por acaso, mas, sim, porque se convenceu pela palavra dessa pessoa que ela merece crédito, ou porque ela já provou que cumpre o prometido. O Senhor nos convida a provar que Ele é bom. Por isso, meu irmão, comece a crer nEle para a resolução dos mínimos problemas. Então, nos momentos de grande provação, será mais fácil confiar na manifestação poderosa do Altíssimo.


Perde muito quem não coloca a confiança em Deus quando é atacado. Se começar a exercitar sua fé mesmo nas pequenas coisas, ao passar por grandes provações, já terá aprendido a confiar no Senhor e partirá para a batalha, usando as armas da justiça e vencendo todo o mal. Sem dúvida, o Pai não deixará frustrado aquele que colocar a confiança em Sua Palavra.


Quem confia em Deus se lança na peleja com determinação; porém, o que age com medo de que, talvez, aquela investida não dê certo não consegue derrotar o inimigo. O diabo sabe quando falamos com fé ou “da boca para fora”. Então, caso ele não sinta firmeza em nossa ordem, não obedecerá a ela, ainda que a tenhamos dado em Nome de Jesus. Aquele que confia no Altíssimo não tem o menor temor de que sua determinação falhe.


O Senhor jamais deixará confundida a pessoa que deposita nEle sua confiança, da qual Ele precisa para a obra ser feita mediante Seu poder. Cristo afirmou que quem nEle cresse faria os mesmos prodígios realizados por Ele em Seu ministério terreno (Jo 14.12). Ele ordenava aos demônios que saíssem, e não ficava orando ao Pai que libertasse o endemoninhado; dizia ao paralítico que andasse e aos demais doentes que fossem curados. Quem confia no Altíssimo realiza as mesmas obras de Cristo.


Deus não fará algo novo para você que não esteja revelado em Sua Palavra. Quem deseja ser agraciado com um milagre deve crer no que a Escritura garante já ter sido feito. Então, com determinação, a pessoa precisa exigir a saída do mal. A luta contra as forças malignas tem de ser travada pelos filhos de Deus com a ajuda dEle. No momento em que o cristão tomar a posição de viver a liberdade dada a ele, obterá a vitória. 


Somos livres pela justiça divina, mas a Palavra declara que também fomos feitos justiça de Deus (2 Co 5.21). Portanto, não há nada que nos impeça de desfrutar de tudo o que Jesus fez em nosso favor. A justiça do Senhor se mesclou em você para fazê-lo realmente livre de tudo aquilo que o tem prendido ou oprimido.


Os possuidores dessa justiça não devem acovardar-se diante das provações, pois o maligno sabe que eles têm o direito de usar a autoridade concedida pelo Senhor. Por isso, ao menor sinal de resistência de um cristão, o adversário foge apavorado (Tg 4.7). Com a justiça de Deus em Cristo, somos invencíveis em todas as batalhas que o Pai nos permitir travar.


Em Cristo, com amor,

sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

COM INTELIGÊNCIA

Portar-me-ei com inteligência no caminho reto. Quando virás a mim? Andarei em minha casa com um coração sincero.


Salmo 101.2


A maneira como você se porta no caminho de Deus é o que conta. Não basta receber dEle uma direção sobre qualquer assunto, mas, sim, observar como você age depois de ter sido iluminado. Então, avalie seu procedimento após ter recebido a revelação do que deve fazer, pois perde muito quem é relaxado e não se esforça para cumprir o que o Altíssimo lhe mostra nas entrelinhas dos textos bíblicos.


O caminho do Senhor é reto e não tem defeito, pois nele não há atalhos nem buracos. Meu irmão, se for preciso fazer alguma coisa errada, a qual seja condenada pelas Escrituras ou suje suas mãos, não a faça. Não tome uma estrada que não seja completamente limpa, plana e perfeita, pois, se não trilhar o caminho correto, andará com o maligno.


Podemos percorrer a mesma vereda do Pai, e isso Ele nos convida a fazer. Não deixe que nada do inimigo apegue-se ao seu espírito, pois, dessa forma, você expulsará Aquele que é santo e não pode conviver com o erro. Faça o que for necessário para não ter o imundo em sua vida; caso contrário, ele irá destruí-lo.


Não basta conhecer a vontade divina e desejar que tudo melhore; é preciso portar-se com inteligência no caminho aberto pelo Altíssimo. O Senhor ensinou ao salmista, o qual, pelos seus escritos, exorta-nos também a andar com inteligência no caminho santo. Fique sempre atento para não perder o que já lhe foi preparado. Esse é o único meio de ser feliz e conseguir desfrutar das bênçãos conquistadas para quem crê.


Deus vai ao encontro daqueles que andam conforme Seus mandamentos e os exorta a Lhe agradarem. Desprezar a orientação divina é deixar-se enganar pelo diabo, que, ressentido por causa da nossa posição em Cristo, esforça-se para nos impedir de ter o melhor do Senhor. Aqueles que se portam com inteligência no caminho revelado pelo Todo-Poderoso conseguem usufruir de Seu favor.


Andar com o coração sincero é o melhor meio de agradar a Deus. Com isso, quem o faz não sente a frustração a qual segue os que se mantêm alheios ou rebeldes às palavras divinas. Há grande lucro em executar as ordens do Onisciente, pois todas elas são perfeitas e sem vício. Se o Pai nos concede o segredo de agradar a Ele, por que não fazê-lo?


Uma das melhores coisas é fazer o Senhor ficar feliz com a nossa obediência, porque a alegria dEle é a nossa força (Ne 8.10). O contrário também é verdadeiro, pois o Altíssimo fica triste com as nossas decisões erradas. Que força nos restará? Decida, então, portar-se com inteligência em relação às revelações que a Palavra lhe dá. Ao agir dessa forma, você será bem-sucedido.


Em Cristo, com amor,

quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

A MANEIRA DE MEDITAR

A minha meditação a seu respeito será suave; eu me alegrarei no SENHOR.


Salmo 104.34


Temos muito a aprender com as pessoas que foram usadas pelo Senhor Deus nos tempos bíblicos. O que elas escreveram, ou o que sobre elas foi escrito, são dicas que o Espírito de Deus nos dá sobre o modo de viver e servir que agrada ao Pai. Fora dos registros bíblicos não se encontra nada de valor para a nossa caminhada espiritual. Aquilo que provém do homem só serve para os assuntos seculares.


O salmista declara que seu pedido ao Altíssimo seria suave, agradável a Ele, e é dessa maneira que devemos pedir também, pois, do contrário, teremos perdido tempo. Quem não tem a ajuda divina ao meditar não consegue ser ouvido e atendido pelo Senhor; assim sendo, seu ato de fé não terá a medida perfeita e a pureza necessária. Somente os que aprendem com Deus terão condições de agradar-Lhe.


Se os religiosos de todas as crenças parassem um pouco para repensar suas atitudes e observassem o que diz a Palavra de Deus, agiriam de modo vitorioso e, assim, suas orações seriam atendidas. Como é triste ver pessoas que pensam estar consagrando a vida ao Senhor, mas, com práticas não bíblicas, distanciam-se dEle. Diferente disso, aproxima-se do Altíssimo aquele que cumpre Sua Palavra.


Quando as nossas atitudes agradam ao Pai, Ele nos conduz no caminho que devemos aprender, a fim de que sejamos vencedores; porém, nada será feito para quem insiste no erro, ainda que por ignorar o que diz a Escritura Sagrada. Deus não pode violar o que está escrito e nos abençoar. Verifique se você tem cumprido o que declara a Bíblia, fuja dos erros e não deixe o diabo convencê-lo de que seu caso é diferente. Prefira sempre a porta estreita e o caminho apertado; do contrário, você não achará a vida (Mt 7.13,14).


A sua atitude de coração conta muito. Aqueles que respeitam a Palavra de Deus, sem dúvida, não serão deixados a sós no engano. O Senhor confirma o que saiu dos Seus lábios para todo aquele que faz Sua vontade. Quem se esforça para ser agradável na busca pela verdade haverá de encontrá-la, e ela mesma irá libertá-lo. Esforçar-se para ser agradável ao Pai é dedicar-se para andar segundo Seus ensinamentos.


Ao sentir que seu coração se alegra, esse é o sinal de que você tem agradado ao Altíssimo; com isso, as portas não ficarão mais fechadas para você. Vale a pena cumprir os mandamentos divinos, pois, dessa forma, você provará que, de fato, ama o Senhor. Ele, por Sua vez, irá amá-lo também, confirmando Suas palavras e cumprindo Suas promessas.


Somente se regozija na fé a pessoa que se torna agradável ao Pai. Para ela, não faltará a graça divina, pois, por agir de uma maneira que alegra o coração de Deus, o Senhor fará com que o entendimento dela seja enriquecido com as mais produtivas revelações.


Em Cristo, com amor,

Follow by Email

PREGAÇÕES EM DVD

PRESENTEIE A QUEM VOCÊ AMA,EVANGELIZANDO COM AS MENSAGENS DOS NOSSOS CULTOS,FAÇA SEU PEDIDO ATRAVÉS DO NOSSO SITE www.igrejacvv.com.br. PARTICIPE DO NOSSO MINISTÉRIO!

ACESSE NOSSO SITE

www.igrejacvv.com.br E ASSISTA CULTOS ON LINE

Sobre nós

A Igreja Pentecostal Caminho, Verdade e Vida é uma instituição inspirada por DEUS para alcançar os corações das ovelhas perdidas da casa de Israel por toda a face da terra.
Com o evento da criação do Ministério Caminho, Verdade e Vida, o Senhor JESUS revelou ao coração do presidente Pastor Gilberto Luiz Chaves o seguimento das três portas do Santuário que Moisés realizava para a adoração do SENHOR DEUS durante o trajeto do êxodo do povo de Israel pelo deserto.
O santuário era composto com três seções para adoração, onde uma delas apenas ao sumo sacerdote era permitido pelo poderoso DEUS adentrar em adoração; A cada seção do santuário havia uma porta .
Hoje com a Graça de DEUS através de seu filho unigênito JESUS CRISTO, essas portas foram substituídas pela GRAÇA DE CRISTO QUE LEVOU SOBRE SI AS NOSSAS DORES E AFLIÇÕES, e a cada porta daquele santuário de outrora, hoje conhecemos que a 1ª porta do santuário é o CAMINHO, a 2ª porta do santuário é a VERDADE, finalmente a 3ª porta do Santuário é a VIDA.
Assim, JESUS é o Caminho e a Verdade e a Vida, como diz no Evangelho de João 14: 6, o santuário vivo do Poderoso DEUS, onde toda a adoração é devida a ele, pois, diz a sua palavra:
“Ninguém vem ao Pai senão por mim”
Desta forma Pastor Gilberto Luiz Chaves teve inspiração de DEUS a denominar A Igreja Pentecostal Caminho Verdade e Vida para realização de trabalho de evangelização e divulgação das Boas Novas a todas as criaturas dispostas a encontrar o SENHOR E SALVADOR JESUS CRISTO.
Pastor Gilberto Luiz Chaves é advogado militante com especialização em advocacia Previdenciária, formado desde 1985, exerce suas atividades profissionais seculares regularmente com escritório fixo há mais de 13 anos no mesmo local; foi batizado em 20 de junho de 1990 no Rio Jororó iniciando seu Ministério de Diaconato, quando em 2006 foi consagrado Evangelista pelo Pastor Oscar Luiz de Oliveira Presidente da Assembléia de DEUS Fonte de Amor donde concluiu então o Curso de bacharel em Teologia da Faculdade de Educação Teológica do Estado de São Paulo em 2007, iniciando o Ministério Pastoral.
A igreja Pentecostal Caminho, Verdade e Vida detém a valorosa contribuição do Pastor NELCY CHAVES, regularmente inscrito na ORDEM DOS MINSTROS DO BRASIL, homem de fé com mais de 20 anos de Ministério já Pastoreou nas Igrejas Missionária Cristã, Comunidade Ramá, Assembléia de DEUS em Gramacho e agora com mais de 80 anos de idade é colocado como ESTACA DE ORIENTAÇÃO USADO PELO PODEROSO DEUS.
A igreja Pentecostal Caminho, Verdade e Vida esta nos braços do SENHOR JESUS a esperar por todos os cansados e oprimidos para a divulgação das boas novas, pois, disse JESUS:
Mateus 11:28
Vinde a mim, todos os que estai cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei.







Arquivo do blog