Total de visualizações de página

quarta-feira, 31 de agosto de 2011

NÃO CORRA DE NENHUM DESAFIO

Ora, a suma do que temos dito é que temos um sumo sacerdote tal, que está assentado nos céus à destra do trono da Majestade, ministro do santuário e do verdadeiro tabernáculo, o qual o Senhor fundou, e não o homem.


Hebreus 8.1,2


O resumo de tudo o que Deus nos ensina é que temos Alguém que recolherá as nossas orações e determinações e as cumprirá. Ele confirmará o nosso direito de desfrutar das promessas existentes nas Escrituras. Então, tendo recebido alguma revelação de algo que lhe pertence, faça aquilo tornar-se o alvo de suas orações e determinações. Em Cristo, nosso Sumo Sacerdote, nós podemos tudo.
O Senhor Jesus é o nosso Sumo sacerdote. Por ter morrido na cruz do Calvário em nosso favor, Ele não medirá esforços para confirmar os direitos que Ele mesmo comprou para serem desfrutados por nós. Em Seus dias, aqui na terra, o Mestre jamais permitiu que o diabo oprimisse a quem quer que fosse. Ao abençoar alguém, o Filho de Deus expulsava o mal. Imagine, hoje, o que o Senhor não faria em favor de quem agisse em Seu Nome?
O fato de a Palavra de Deus informar que Cristo está assentado nos Céus à destra do trono da majestade significa Ele tem todo o poder tanto nos Céus como na terra. Com isso, podemos ser ousados em reivindicar o que nos pertence, pois, por causa da Pessoa de Jesus e da Palavra, o inimigo jamais nos atingirá. No entanto, cuidado com a timidez espiritual, pois está escrito que os tímidos não herdarão o Reino de Deus (Ap 21.8).
Ele é o Ministro do verdadeiro santuário. Na terra, havia o santuário feito por mãos do homem, mas, nos Céus, está o verdadeiro, feito pelas mãos do Altíssimo. Lá, a presença divina encontra-se 24 horas por dia e sete dias por semana. Sendo o nosso Salvador quem ministra as bênçãos nesse santuário, podemos ter certeza de que elas nunca nos serão negadas; ao contrário, todas elas terão o sim nEle.
O tabernáculo que Moisés ergueu no deserto tipificava o verdadeiro tabernáculo, onde Jesus é o Ministro. No Templo terreno, a presença de Deus era constante e, quando o sacerdote ministrava ao Senhor, o poder divino se manifestava. Hoje, o Altíssimo ministra do verdadeiro tabernáculo. Não tenha receio de se dirigir a Deus em Nome de Jesus para resolver todas as suas pendências, pois Ele ama aqueles que amam a Sua Palavra.
O tabernáculo celestial é uma realidade; não é figura de retórica. Foi o próprio Deus quem o criou para que Seu Filho, o Rei dos reis e Senhor dos senhores, ministrasse. Com isso, não devemos ficar temerosos de entrar nesse recinto santo, levando todas as nossas inquietudes para que Ele nos ajude. Afinal, somos convidados a isso.
Visto que o Sumo Sacerdote deu Sua vida para livrar você do maligno, entre na presença divina ciente de que sairá abençoado. Por isso, não se deixe vencer por mal algum, mas, com fé e determinação, assuma o seu lugar em Cristo.

Em Cristo, com amor,

terça-feira, 30 de agosto de 2011

SIGA ESTES CONSELHOS

Deixando, pois, toda malícia, e todo engano, e fingimentos, e invejas, e todas as murmurações.


1 Pedro 2.1


Nós deixamos o mundo e o diabo quando nos convertemos. Apesar de termos nascido de novo, ainda há coisas que precisamos abandonar. A nossa natureza terrena, se tiver permissão, fará com que sejamos pessoas tão erradas quanto o éramos antes da conversão. Portanto, vejamos estes conselhos dados por Pedro, os quais ele aprendeu dos lábios do Mestre, a Quem seguiu fisicamente por mais de três anos e, depois, pela fé. Conforme o apóstolo, precisamos deixar:

Toda malícia – Essa tendência para fazer o mal leva uma pessoa a se distanciar do Criador e a se aproximar do inimigo. Por isso, é preciso ser alguém simples, confiante nas promessas divinas. Afinal, o Senhor prometeu nunca nos deixar nem nos abandonar (Hb 13.5). Não é necessário usar de nenhum subterfúgio para conseguir as coisas; nem mesmo suspeitar mal de alguém. Que a sua fonte de informação seja somente o Senhor Deus.

Todo engano – Como dói ver filhos de Deus enganando seus irmãos em Cristo, e até os perdidos! Como essas pessoas são tolas, pois, com isso, elas se vendem ao maligno. Ora, não se deve fazer nada que nos coloque debaixo da ação maligna. O inimigo é mau, e todo aquele que estiver sob a sua ação pagará um preço alto. Não será por isso que muitos vivem sofrendo?

Os fingimentos – Fingir não é compatível com o título que ostentamos de filhos de Deus. Bem faremos se, de coração, deixarmos todo fingimento. Jesus nos orientou a dizer sim, quando for sim, e a dizer não, quando for não (Mt 5.37). Por isso, nunca fale outra coisa a não ser a verdade. Não finja jamais, pois, se o fizer, desagradará ao Senhor.

As invejas – Esse sentimento nos perseguirá sempre, se não nos despirmos dele. É possível alguém ser usado por Deus, mas, ao mesmo tempo, viver tomado pela inveja. Não conseguiremos ser plenos em todos os assuntos, se tivermos este defeito horrível na nossa personalidade. Com este erro, não se consegue ouvir a voz de Deus; pois, quando o Senhor falar, você estará ocupado por esta ação maligna.

As murmurações – Murmurar desgosta qualquer um, principalmente, o nosso Deus. Esse é dos repetidos pecados que os israelitas cometiam em sua caminhada pelo deserto. Apesar de terem visto grandes intervenções milagrosas do Altíssimo, toda vez que surgia uma dificuldade, em vez de orar, eles escancaravam a boca murmurando. Com isso, desagradavam ao Senhor que tinha outros planos para eles.

Procure conhecer bem a Palavra de Deus e, assim, você sempre agradará a Ele. Com isso, a sua força será grande, pois a alegria do Senhor é o que lhe dá força (Ne 8.10). Em vez de ter esses defeitos, encha-se do Espírito Santo. Assim, não terá espaço para conviver com tais erros, os quais, de modo nenhum, irão ajudá-lo. Estando cheio do Santo Espírito, você caminhará na atmosfera divina e terá paz.

Em Cristo, com amor,

segunda-feira, 29 de agosto de 2011

Que queres que te faças?parte 3


Mateus 9
23-25
E Jesus, chegando à casa daquele chefe, e vendo os instrumentistas, e o povo em alvoroço,
Disse-lhes: Retirai-vos, que a menina não está morta, mas dorme. E riam-se dele.
E, logo que o povo foi posto fora, entrou Jesus, e pegou-lhe na mão, e a menina levantou-se.

EU E VOCÊ-LOUVOR IRMÃO JOÃO

domingo, 28 de agosto de 2011

O TESTEMUNHO DO SENHOR

Testificando também Deus com eles, por sinais, e milagres, e várias maravilhas, e dons do Espírito Santo, distribuídos por sua vontade?


Hebreus 2.4


Milagre é um assunto por demais santo e precioso, pois, sem essa operação divina, não saberíamos qual é o caminho verdadeiro. Adeptos das mais diversas religiões falam do criador de sua organização com a maior satisfação, apesar de não receberem nada dele. No entanto, os que ouvem a Palavra de Deus não abraçam filosofia alguma, pois são iluminados pela Verdade e, por isso, libertam-se de todo sofrimento – afinal, a verdade liberta (Jo 8.32)!
A libertação de uma pessoa dominada pelo demônio é algo extremamente importante. Não há como alguém presenciar esse ato e dizer que não acredita no Senhor; pois, quando vê as duas forças – o bem e o mal – digladiando-se, é impossível dizer que não viu Deus e o diabo em batalha. O maligno luta para permanecer naquele corpo, e o poder divino, para livrar aquela vida das garras de Satanás.
Os sinais, os milagres e as demais maravilhas que Jesus opera são testemunhos que Ele dá da verdade. Não podemos pregar a Palavra a quem quer que seja sem que haja manifestações do poder divino, pois o que é nascido da carne é carne (Jo 3.6a). Somente quem prova que o Senhor é bom passa realmente a amá-lO de todo o coração.
Desde o início, o Todo-Poderoso atua na vida do homem. Por que, hoje, Ele agiria de modo diferente? Deus providenciou as folhas de figueira com as quais Adão e Eva se cobriram (Gn 3.7); ao destruir o mundo, nos dias de Noé, Ele pôs nas nuvens o Seu arco como prova de que o mundo não seria mais destruído pela água (Gn 9.13). Nos dias de Jesus aqui na terra, o Altíssimo continuou operando para nos mostrar o que Ele fará hoje.
Se o Mestre não tivesse realizado sinais, curado enfermos e libertado oprimidos, como saberíamos que a Sua mensagem é a verdadeira? Hoje, mais do que nunca, é necessário que os pregadores se revistam do poder celestial e o usem para a confirmação do Evangelho.
Quando João Batista, preso no cárcere, ficou em dúvida se Jesus era ou não o que havia de vir e mandou seus mensageiros perguntarem isso a Ele, Cristo deu uma prova inequívoca, dizendo: “Ide e anunciai a João o que tendes visto e ouvido: os cegos veem, os coxos andam, os leprosos são purificados, os surdos ouvem, os mortos ressuscitam e aos pobres anuncia-se o evangelho” (Lc 7.22).
Essa é a resposta que todos precisam ter para suas indagações. Somente com provas é que uma pessoa se converte de fato. Portanto, a Igreja precisa parar de tentar fórmulas elaboradas pelos homens e, em alguns casos, até pelos demônios. Isso não convence as pessoas da verdade; no máximo, consegue tirar alguns de um engano para colocar em outro, pois apenas o Evangelho é capaz de dar a todos a salvação completa!

Em Cristo, com amor,

sábado, 27 de agosto de 2011

O Mover de Deus



Mateus 9

18-22


Dizendo-lhes ele estas coisas, eis que chegou um chefe, e o adorou, dizendo: Minha filha faleceu agora mesmo; mas vem, impõe-lhe a tua mão, e ela viverá.
E Jesus, levantando-se, seguiu-o, ele e os seus discípulos.
E eis que uma mulher que havia já doze anos padecia de um fluxo de sangue, chegando por detrás dele, tocou a orla de sua roupa;
Porque dizia consigo: Se eu tão-somente tocar a sua roupa, ficarei sã.
E Jesus, voltando-se, e vendo-a, disse: Tem ânimo, filha, a tua fé te salvou. E imediatamente a mulher ficou sã

COISA IMPOSSÍVEL

Porque é impossível que os que já uma vez foram iluminados, e provaram o dom celestial, e se fizeram participantes do Espírito Santo, e provaram a boa palavra de Deus e as virtudes do século futuro, e recaíram sejam outra vez renovados para arrependimento; pois assim, quanto a eles, de novo crucificam o Filho de Deus e o expõem ao vitupério.


Hebreus 6.4-6


Nenhuma das repreensões desse texto bíblico deveria existir em você. Infelizmente, há cristãos que se deixam levar pela derrota e, assim, desclassificam-se para o Reino de Deus. Estudemos estas seis condições que, se estiverem juntas, desclassificarão quem as possuir. Que o que você verá agora sirva de aviso para a sua vida.

1º - Os que foram uma vez iluminados, compreenderam a vontade divina, tiveram a capacidade para entender a Palavra de Deus, mas se deixaram levar pelo pecado, desviando-se dos caminhos do Senhor, precisam parar correndo com a loucura e voltar à sensatez, pois, se assim continuarem, não poderão ser renovados. Essas pessoas conseguiram o que a maioria dos cristãos daria tudo para ter, porém, pelo desprezo que deram a bênção recebida, haverão de pagar caro.

2º - Não há nada melhor do que provar o dom celestial. Somente quem é salvo sabe o valor da graça divina. Quando somos aceitos na família de Deus, parece que estamos “nas nuvens”. Os problemas deixam de nos perturbar, as lutas cessam, e uma paz invade a nossa alma. Aqueles que não são salvos não podem entender o porquê da alegria que invade o nosso ser. No entanto, há pessoas que trocam tudo isso por uma aventura amorosa, pela desonestidade ou por outro erro.

3º - Que privilégio o Senhor nos concede de nos fazer participantes do Espírito Santo. O texto não fala somente de termos o Santo Espírito em nós, mas também de participarmos dEle. Quando isso acontece, nós nos tornamos vencedores em qualquer situação. A fé atinge uma altura muito grande em nosso coração, e, então, somos usados como o foram os irmãos do passado, os chamados heróis bíblicos. Por que alguém desprezaria essa graça?

4º - O nosso Pai deseja que provemos a Sua boa Palavra; afinal, foi Ela que nos criou, moldou-nos e nos dá o novo nascimento. Com Ela, estamos em casa; porém, sem Ela, sentimo-nos perdidos. A boa Palavra do Senhor ocupa o lugar ausente de Jesus em nosso meio, e, por meio dEla, o Altíssimo nos usa. Por isso, é possível afirmar que, uma vez tendo a companhia da Palavra, não há nem haverá algo que nos seja impossível.

5º - Aqueles que seguem o Senhor possuem a capacidade de provar as virtudes do século futuro. Esse poder é o que usaremos na eternidade. Agora, ele é dado a alguns, mas, no mundo vindouro, nós o teremos de modo ilimitado, dentro da vontade divina. Aqueles que receberam esse poder, mas faltaram com a confiança neles depositada, estão em laço de amargura.

6º - É muito triste quando alguém se deixa levar pelo inimigo e cai em pecado. O diabo fará tudo para tirar dele a felicidade eterna; então, é bom abrir os olhos e não aceitar nenhuma das ofertas proveniente do príncipe das trevas. As pessoas que cometem o que estamos estudando não conseguirão ser renovadas para a salvação. Se você tem caído em uma – ou algumas – dessas situações, busque correndo o perdão divino. Compete a você zelar pela sua salvação.

Em Cristo, com amor,

sexta-feira, 26 de agosto de 2011

VERDADEIRA OU FALSA

Muitos convertidos não se desviam. Eles recebem acompanhamento e são encaixados na igreja local onde são cercados de uma boa vida social, e continuam dentro da igreja sendo assegurados de que estão salvos, mesmo quando não há base alguma para sua salvação, pois não possuem as marcas que acompanham a salvação.
Bem, isto tem acontecido, esta grande tragédia tem acontecido, simplesmente porque não temos seguido o exemplo bíblico e pregado a Lei aos orgulhosos e a graça aos humildes. Sempre, quando vemos Jesus abordar uma pessoa arrogante, orgulhosa e soberba para falar-lhe do evangelho, Ele usa a lei antes da graça. Sempre. Com a Lei Ele quebrava o coração duro e com o evangelho e curava o coração partido.
Por que Ele fazia isso? Porque sempre fazia o que era agradável aos olhos do Pai. “Deus resiste aos orgulhosos e dá graça aos humildes.”
Então, o verdadeiro crente dá frutos de um novo estilo de vida, um estilo de vida que é agradável à vista do Deus todo poderoso. Se estamos enraizados em Cristo, isso precisa estar evidente. Jesus disse: “Eu sou a videira, vós sois os ramos. Aquele que habita em Mim e Eu nele, este dá muito fruto.” Colossenses 1, falando do Evangelho, diz: “o Evangelho gera frutos no crente.”
 O que a Bíblia quer dizer quando fala de frutos? Especificamente? Bem, No 1, o fruto de arrependimento (Mateus 3:8). Zaqueu tinha mais do que “lágrimas em seus olhos.” Ele disse: “Senhor, se em alguma coisa tenho defraudado alguém, eu lho restituo quadruplicado. Darei metade de meus bens aos pobres.” Ele conhecia a Lei de Deus. Ele era um judeu que buscava a Deus. Foi isso que o trouxe a Cristo. Este foi o  que o levou a Cristo, buscar a Deus por conhecer a Sua Lei. Ou será que eu deveria dizer: “um judeu tornado humilde pela Lei.” Ele disse: “Senhor, se em alguma coisa tenho defraudado alguém, eu lho restituo quadruplicado,” – era isto o que a Lei exigia.
Número dois, o fruto de ação de graças (Hebreus 13:15). Se você realmente for salvo, deverá haver um clamor em seu coração: 
 Se não houver o fruto de ação de graças, se não houver gratidão queimando em sua alma, você pode não ser salvo.
Número três, os frutos do Espírito (Gálatas 5:22), que devem ser evidenciados em “amor, gozo, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fidelidade, mansidão, domínio próprio.”
Número quatro, o fruto de justiça [retidão] (Filipenses 1:11). Deve haver o fruto daquilo que é correto, o fruto da retidão em seu estilo de vida. Lembrem-se que Mateus 3:10 diz assim: “Toda árvore que não produz bom fruto, é cortada e lançada no fogo.” Portanto, como cristãos, em nossos esforços evangelísticos, devemos fazer todo o possível não apenas para conseguir decisões por Cristo, porque “toda árvore que não produz bom fruto, é cortada e lançada no fogo.”
Mar 4:20 -¨Aqueles outros que foram semeados em boa terra são os que ouvem a palavra e a recebem, e dão fruto, a trinta, a sessenta, e a cem, por um.”
  Jesus disse: “Aquele que ouve minhas palavras e não as obedece é como o homem tolo que construiu sua casa na areia.” Os descrentes não ouvem as palavras de Deus. A maioria deles conhece o versículo “Não julgueis, para que não sejais julgados.” e a regra de ouro “Assim como quereis que os homens vos façam, do mesmo modo lhes fazei vós também.” E utilizam ambos os versículos de maneira distorcida, e não os compreendem.
Nossas igrejas estão cheias de pessoas que ouvem as palavras de Jesus e não as obedecem
Em primeiro lugar, com o falso convertido, de acordo com Marcos 4:5, os resultados aparecem de imediato. Eles não pesam as conseqüências. O evangelho que ouvem não é um evangelho precedido pela Lei. Eles não são levados a tremer diante do trono de um Deus santo. A única coisa que querem é ter a certeza de que vão para o céu quando morrerem. Quer dizer, na verdade, já acham que estão indo para o céu. A maioria das pessoas pensa assim. Por quê? Porque estabelecem os seus próprios padrões de justiça, ficando ignorantes da justiça de Deus.
Assim, o pecador, achando que merece ir para o céu mesmo, vai à frente e “entrega o coração a Jesus”, fortalecendo a sua certeza de que está indo para o Céu. Contudo, não possui qualquer entendimento de pecado, e como Paulo disse: “Não conheci o pecado senão pela Lei.” 1 João 3:4 diz: “pecado é a transgressão da Lei.” Então, continuando, o pecador fortalece ainda mais a sua certeza de estar indo para o céu, a igreja faz o seu acompanhamento e o integra à congregação. Ele faz novos amigos, inicia um novo estilo de vida, reconhece que tem um problema com alcoolismo,prostituição,adultério,etc. e toma atitudes para resolvê-lo, e as coisas começam a caminhar.
Contudo, não há arrependimento, e quando não há uma compreensão do pecado, não há tristeza segundo Deus, que opera arrependimento. Jesus disse: “Se não vos arrependerdes, todos de igual modo perecereis.” E nossas igrejas estão cheias de pessoas que têm certeza de sua salvação – mas cuja certeza não vem do Espírito Santo. São pessoas que não pesam as conseqüências, pessoas das quais é fácil conseguir uma “decisão por Cristo” usando a isca da vida eterna.
Em segundo lugar, falta umidade (Lucas 8:6). Não há uma sede por Deus, pelo Deus-Vivo.
Em terceiro lugar, não há raiz (Mateus 13:6). Não há profundidade do caráter de Deus.
Em quarto lugar, recebem a Palavra com alegria. Não apresentam tristeza segundo Deus porque a Lei não foi usada para que pudessem se enxergar de maneira verdadeira. A Lei de Deus é como um espelho. Quando não há espelho, você pode sair por aí o dia inteiro com o rosto sujo, a menos que alguém o alerte.
Em quinto lugar, recebem a Palavra com alegria. Seu júbilo não é transformado em pranto, nem sua alegria em lamentação (Mateus 13:20).
Em sexto lugar, crêem por algum tempo (Lucas 8:13), ou seja, o que ocorre é uma genuína falsa conversão!
Deus diz que o solo do coração das pessoas é como pedra. Diz assim em Ezequiel 8: “Tirarei vosso coração de pedra e dar-vos-ei um coração de carne.” Mesmo se pegarmos uma semente pura do evangelho e a lançar-mos em um coração irregenerado, ela não dará frutos. Não conseguirá. O que precisamos fazer é revirar o solo do coração das pessoas usando a pá da Lei de Deus. Expor as pedras do pecado que só são removidas pelo arrependimento. Aí sim, a pessoa pode receber a Palavra que pode salvar a sua alma.
O que a Lei faz é nos trazer a luz do entendimento. O Mandamento é uma lâmpada, a Lei é luz. Quando alguém se examina à luz da Lei de Deus, vê que pecou contra o Senhor e que Ele requer a verdade no íntimo e considera lascívia como o mesmo que adultério, ódio como assassinato e que se tirar pelo menos uma coisa que pertença a outra pessoa, independentemente de seu valor, isso faz do indivíduo um ladrão e, portanto, não poderá herdar o Reino de Deus. Se o indivíduo contar uma lorota ou “mentirinha” estará cometendo falso testemunho – e todos os ladrões terão sua parte no Lago de Fogo. Transgressores da Lei, praticantes da iniqüidade.
Jesus disse: “Muitos dirão naquele dia: ‘Senhor, Senhor.’” E Ele dirá: “Apartai-vos de Mim, todos vós que praticais a iniqüidade. Nunca vos conheci.” Quando o pecador compreende que pecou contra Deus, quando o solo de seu coração tiver sido arado pela Lei, as pedras do pecado expostas, ele estará pronto para remover estas pedras do pecado através do arrependimento e será capaz de receber a semente que pode salvar a sua alma. Esta é a pessoa cujo solo é bom.
Portanto, a essência do que estou dizendo é que Deus colocou nas mãos da Igreja armas que não são carnais, mas poderosas em Deus para derribar fortalezas e sob o Seu comando, com a ajuda do Espírito Santo, podemos determinar sobre que solo a semente cairá, através do uso a Lei como uma enxada para arar o solo do coração irregenerado.
Falsos convertidos não dão frutos, mas têm um montão de galhos e folhas para impressionar as pessoas à sua volta. Veja o que diz Mateus 7:15-20: “Guardai-vos dos falsos profetas, que vêm a vós disfarçados em ovelhas, mas interiormente são lobos devoradores. Pelos seus frutos os conhecereis. Colhem-se, porventura, uvas dos espinheiros, ou figos dos abrolhos? Assim, toda árvore boa produz bons frutos; porém a árvore má produz frutos maus.”
Escutem só isso: “Uma árvore boa não pode dar maus frutos;” Em outras palavras, se alguém é genuíno, é genuíno, se é falso, é falso. “Nem uma árvore má dá frutos bons. Toda árvore que não produz bom fruto é cortada e lançada no fogo. Portanto, pelos seus frutos os conhecereis.”
Observamos, então, sucintamente, as características de uma falsa conversão. Assim, antes de concluirmos a mensagem, observaremos rapidamente as características de um convertido genuíno.
Mas, quando Davi pecou com Bate-Seba, ele disse: “Contra Ti, somente contra Ti pequei.” O filho pródigo disse: “Pequei contra o Céu.” Paulo pregava “arrependimento para com Deus,” a parte ofendida na história. A tristeza segundo Deus gera arrependimento. Sem a Lei não se pode ter o entendimento necessário para exercitar a tristeza segundo Deus que conduz ao arrependimento.
Se utilizarmos a Lei em nosso testemunho, será comum ouvir os pecadores dizendo coisas do tipo: “Agora entendo o que está dizendo. Entendo isso. Nunca haviam me explicado desta maneira.” Essa é a reação quase todas as vezes que uso os Dez Mandamentos, um a um, para mostrar que a razão pela qual precisam de um Salvador é para escapar da ira vindoura. Deus determinou um dia em que julgará o mundo em retidão.
Veja o que diz Mateus 13:15: “Porque o coração deste povo se endureceu, e com os ouvidos ouviram tardamente, e fecharam os olhos, para que não vejam com os olhos, nem ouçam com os ouvidos, nem entendam com o coração, nem se convertam, e eu os cure.”
Vejam que primeiro precisa vir o entendimento ao coração para que se converta. Lembram que Filipe perguntou ao eunuco etíope: “Compreendes o que estás lendo?” Lembram do doutor da lei que se levantou e tentou a Jesus perguntando: “Como posso alcançar a vida eterna?” Jesus disse: “Qual o seu entendimento da Lei? Qual a leitura que você faz dela?” Porque se não há entendimento da Lei, não pode haver salvação, pois o pecado é a transgressão da Lei.
O verdadeiro convertido, por sua vez, é aquele que diz: “Ai de mim. Estou perdido. Deus, tenha misericórdia de mim, um pecador.”
Ao falar Jesus do novo coração, refere-Se Ele à mente, à vida, ao ser todo. Ter uma mudança de coração é retirar as afeições do mundo, e uni-las a Cristo. Ter um coração novo é possuir novo espírito, novos propósitos, motivos novos. Qual é o sinal de um coração novo? - A vida transformada. Há um morrer dia a dia, hora a hora, para o egoísmo e o orgulho.
Em Cristo,com amor

quinta-feira, 25 de agosto de 2011

O DIABO FOI ANIQUILADO

E, visto como os filhos participam da carne e do sangue, também ele participou das mesmas coisas, para que, pela morte, aniquilasse o que tinha o império da morte, isto é, o diabo.


Hebreus 2.14


A razão pela qual Jesus Se fez carne deve ser entendida por todas as pessoas; assim, aprenderão o quanto custou ao Salvador a obra realizada por Ele na cruz do Calvário. Cristo deixou Sua glória, Suas prerrogativas de Deus, e veio ao nosso mundo para ser um dos nossos. Sua luta contra o diabo para nos tirar do império da maldade foi diferente de qualquer outra batalha, pois Cristo sofreu em Si os nossos males.
Com o pecado cometido por Adão, o homem ficou nas mãos do adversário, e, então, a morte, a natureza de Satanás, veio sobre toda a humanidade – o que significa que já nascemos com uma série de erros. No entanto, o Filho de Deus veio a este mundo, entrando legalmente pela porta, a fim de nos tirar do império das trevas. Ao aceitarmos o que Ele fez por nós, o Pai celeste nos recria em Jesus, e, desse modo, tornamo-nos novas criaturas.
Cristo venceu o diabo não como em uma luta de vale-tudo ou outra qualquer. O Salvador recebeu em Si todas as nossas enfermidades e dores, sendo moído pelas nossas transgressões (Is 53.5). Entenda isto: Deus permitiu que Seu Filho fosse afligido com os nossos pecados para que ficássemos livres deles. O mínimo que podemos fazer para agradecer tamanha obra é nos libertarmos de todos os males pela fé.
O Mestre nos substituiu completamente, por isso não devemos sofrer nada daquilo que sobre Ele foi posto. Ainda no mesmo versículo de Isaías, o profeta afirma que, pelas feridas que o Senhor sofreu, fomos curados. Então, temos de nos comportar como tais e não aceitar mal algum que o inimigo deseja lançar sobre a nossa vida. Se já fomos sarados pelas feridas do Salvador, não precisamos pedir-Lhe a cura.
Jesus aniquilou o diabo, desfazendo o seu terrível império da morte. Creia que isso já foi feito – pois verdadeiramente o foi. É claro que Satanás tentará tirar você da Palavra para, assim, atacá-lo. Porém, todo aquele que se firmar nas Escrituras não fracassará. A Palavra de Deus para sempre será cumprida.
Para ficar bom, o importante é você se ver como uma pessoa liberta, completamente livre de toda ação diabólica. De nada adianta orar e recitar o texto de Isaías se, lá no fundo do seu coração, você não acredita no que a Bíblia declara e, por isso, não faz uso dos seus direitos. Até quando você não dará crédito a Deus?
É você quem decidirá quando o poder divino operará em seu favor. Mas atenção! Cada vez que você adiar a sua libertação, o inimigo se fortalecerá mais em sua vida. Por isso, vá agora ao Senhor Deus, em oração, peça o perdão de seus erros, bem como das tentações em que você caiu, e repreenda o mal, pois o Altíssimo só pode operar em quem se liga a Ele.

Em Cristo, com amor,

quarta-feira, 24 de agosto de 2011

ISSO VAI ACONTECER

Levantai os olhos para os céus e olhai para a terra de baixo, porque os céus desaparecerão como a fumaça, e a terra se envelhecerá como uma veste, e os seus moradores morrerão como mosquitos; mas a minha salvação durará para sempre, e a minha justiça não será quebrantada.


Isaías 51.6


Tudo o que o Senhor disse acontecerá nos mínimos detalhes. Ele nos manda levantar os olhos para os Céus porque, primeiro, as coisas ocorrem no mundo espiritual; depois, em nosso mundo. Veja, na Palavra de Deus, o que Ele tem prometido fazer em favor de todos os que confiam e, sem deixar dúvida alguma entrar em seu coração, creia também no que Ele fala.
As coisas que o homem tem criado, as quais, algumas vezes, surpreendem-nos, funcionam apenas em nosso mundo e somente valem para o que é transitório. O Altíssimo nos orienta a olharmos para isso tudo e vermos seu fim muito próximo. Desde Ninrode (que queria atingir o Céu com uma torre) até os “sábios” da atualidade com suas teorias, os homens sempre se enganaram ao pensar que podiam desafiar a sabedoria divina.
Até os céus – o que se vê no espaço sideral – haverão de desaparecer como fumaça. Nada do que hoje existe continuará a existir com a vinda do Senhor. A Escritura declara que os elementos, ardendo, irão fundir-se (2 Pe 3.12). Então, novos céus e nova terra serão criados. O diabo e aqueles que não nascerem de novo serão lançado no lago que arderá com enxofre e fogo para todo o sempre (Ap 20.15).
Não há jeito de poupar o que existe. As pessoas amantes a si mesmas devem depressa converter-se para que possam escapar do que está determinado. Nada do que foi dito pelo Senhor deixará de se cumprir. Os acontecimentos dos últimos tempos são avisos de Deus do que está para suceder. Que você esteja preparado é a minha oração. A Palavra afirma que “a terra se envelhecerá como uma veste” (Is 51.6).
Que dia de choro e pranto será esse! Os moradores da Terra morrerão como mosquitos. Com o toque da última trombeta, a volta de Jesus irá concretizar-se. Então, os que não estiverem preparados por Deus haverão de clamar, suplicar, mas será tarde demais. Hoje, agora, é o momento mais propício para você entregar sua vida e, assim, ser poupado da grande destruição já anunciada.
O bom de tudo é que a salvação preparada por Cristo para aqueles que depositam a confiança nEle durará para sempre. Enquanto alguns provarão a perdição eterna, os que creem e aceitam Jesus como Senhor e Salvador experimentarão a felicidade a qual jamais terá fim. Como está a sua vida neste momento? Prepare-se para não ser condenado!
Tudo pode falhar neste mundo, menos a Palavra de Deus. O Senhor declara que a Sua justiça – a obra que Jesus fez no Calvário – jamais será quebrantada.

Em Cristo, com amor,

terça-feira, 23 de agosto de 2011

QUEM CRÊ NÃO SE CONFUNDE

Porque o Senhor JEOVÁ me ajuda, pelo que me não confundo; por isso, pus o rosto como um seixo e sei que não serei confundido.


Isaías 50.7


As pessoas que já se converteram precisam entender o que o Evangelho pode fazer por elas. Os que descobrem a verdade conseguem a libertação completa e total, mas as que vivem nos ensinamentos religiosos continuam oprimidas como eram antes de terem entregado a vida ao Senhor. Ora, o nosso Pai só precisa que creiamos no que a Bíblia afirma sobre a Nova Aliança para operar em nossa vida.
Deus jamais rejeitará ajuda a qualquer um dos Seus filhos, porém, se eles não forem ensinados a crer de modo correto, jamais verão a glória divina operando em seu favor. A verdade é que o Criador é Pai e, por isso, deseja agir na vida de Seus filhos para livrá-los de todas as ações malignas. A Palavra de Deus nos fala sobre a importância de crer. Ora, quem segue as instruções do Senhor consegue Suas operações.
Aqueles que são ajudados pelo Altíssimo jamais são confundidos. Ele auxilia a pessoa que crê no que Ele promete; por isso, se ela colocar as divinas palavras em ação, jamais se decepcionará. A Palavra eterna sempre atuará em favor de quem dá a Ela o senhorio de sua vida. Por outro lado, aquele que vive no mundo religioso nunca deixa de ser confundido, pois a cada ataque do diabo, ele sofre o prejuízo.
Firme-se no alvo que o Senhor colocou diante dos seus olhos e não se deixe mover por nada, pois você alcançará o que lhe foi prometido. Deus não é homem para que minta (Nm 23.19), por isso jamais brincaria de lhe oferecer algo que Ele não fosse, de fato, fazer. Deus é verdade e, como tal, Ele fala somente aquilo em que você pode confiar completamente. Os que confiam no Altíssimo descobrem que esse é o caminho de viver bem.
Esteja certo de que, em momento algum, sob nenhuma circunstância, você será confundido. Ao contrário, confundidos serão todos os demônios que se levantarem contra a sua vida, pois o Pai vela por aqueles que são dEle. Quando o inimigo se levantar para atacar um dos Seus, o Senhor também Se levantará para protegê-los. Se você realmente crê no que Deus fala, nunca se deixe levar pela dúvida.
A certeza de que o Todo-Poderoso cumprirá o que prometeu é a garantia de que você conseguirá o que lhe foi dito. Portanto, fique firme na sua fé, não se deixe mover nem para a direita – fanatismo – nem para a esquerda – incredulidade. O Senhor é cumpridor de todas as Suas promessas e Ele deseja realizar-Se em você.
Se a prova é dura, lembre-se do que Deus falou. Ele haverá de cumprir até um til ou um j do que lhe disse. Então, não ouça nenhuma voz que queira enfraquecê-lo, mas fortifique-se na fé, dando glórias ao Senhor e estando certíssimo de que Ele é poderoso para realizar o que prometeu.

Em Cristo, com amor,

segunda-feira, 22 de agosto de 2011

QUE QUERES QUE TE FAÇAS? 2

O PLANO DE DEUS

Abraão é conhecido  como homem de fé. Na verdade a Bíblia o apresenta como exemplo de fé: “É o caso de Abraão, que creu em Deus, e isso lhe foi imputado por justiça” (Gálatas 3:6). “De modo que os da fé são abençoados com o crente Abraão” (verso 9).
Deus havia aparecido à Abrão  e disse: “Não temas, Abrão, eu sou o teu escudo, e teu galardão será sobremodo grande” (Gênesis 15:1). O Senhor também prometeu a Abrão que seria “...sepultado em ditosa velhice” (verso 15). Além disso prometeu que todo aquele que tentasse lhe molestar ou amaldiçoar, seria amaldiçoado: “...!maldiçoarei os que te amaldiçoarem” (Gênesis 12:3).
Amado, essas promessas são incríveis: proteção, vida longa, intervenção celestial. E Deus havia feito estas promessas pessoalmente à Abrão!
As escrituras testificam que Abrão “...creu no Senhor, e isso lhe foi imputado por justiça” (15:6). Também dizem que Abrão era “amigo de Deus”.
Cá estava um servo de Deus piedoso e crente, homem visitado pelo próprio Senhor, com a promessa de proteção pessoal, e vida longa sem temor ou malefícios. E Abrão creu em Deus. Confiou que o Senhor iria proteger, e seria seu escudo contra todos os perigos.
Ora, Abrão vivia pacificamente em uma montanha entre Betel e Hai, quando sobreveio fome. Ele claramente possuía muito gado, e necessitava de pastagens e água para o alimentar. Então resolveu pegar suas coisas e se mudar: “...desceu...Abrão ao Egito, para aí ficar [viver por algum tempo]...” (12:10).
Este foi o primeiro erro de Abrão. Ele nunca deveria ter saido da terra à qual Deus o havia enviado. Quando Abrão saiu da terra prometida, ele tinha cerca de setenta anos de idade, e sua esposa, Sarai, cerca de sessenta. Ao entrarem no Egito pagão, Abrão olhou sua bela esposa e pediu que ela se juntasse á ele em um subterfúgio:
“...bem sei que és mulher de formosa aparência; os egípcios, quando te virem, vão dizer: É a mulher dele e me matarão, deixando-te com vida. Dize, pois, que és minha irmã, para que me considerem por amor de ti e, por tua causa, me conservem a vida” (12: 11-13).
Abrão estava dizendo: “Quando chegarmos ao Egito, os homens verão o quanto você é bonita - e vão lhe cobiçar e tentar me matar! Por favor: diga a todos que você é minha irmã. Estou colocando minha vida em suas mãos!”
Essa era uma meia-verdade. Abrão e Sarai tinham o mesmo pai, mas mães diferentes, então Sarai era sua meio-irmã. Ela iria dizer apenas uma “meia mentira” - tudo para salvar a pele de Abrão!
Cá estava o homem conhecido por nós como o pai da fé. Deus havia aparecido para ele, prometendo grande proteção. Mas, de repente, ele deixa de levar a sério a palavra do Senhor! Abrão sabia que o Egito era lugar de luxúria, idolatria, confusão - e mesmo assim estava pronto para ir para lá e colocar a família correndo risco extremo.
E realmente, ao chegarem ao Egito, começou a se falar da grande beleza de Sarai. Todos os príncipes e pessoas importantes de lá ficaram sabendo dela. Abrão percebeu isso, e então lembrou Sarai: “Lembre-se, você é minha irmã. Temos um acordo. Minha vida em suas mãos!”
Isso era covardia absoluta - absoluta falta de fé! Abrão estava submetendo a vida à proteção da esposa; não à de Deus - mas à uma estratégia humana. Que ato vergonhoso de incredulidade! Este grande homem de fé estava querendo deixar que a esposa fosse tirada dele, e posta em um harém pagão, onde poderia ser contaminada por administradores ímpios.
E ela foi levada pelo faraó. As escrituras dizem: “Viram-na os príncipes de Faraó e gabaram-na junto dele; e a mulher foi levada para a casa de Faraó. Este, por causa dela, tratou bem a Abrão...” (12: 15-16).
Você entende o que estava acontecendo aqui? A semente prometida deveria vir através de Sarai - e ela poderia ser contaminada por homens ímpios!
Uma vergonha ambos terem entrado nesse subterfúgio! Não há desculpa para o comportamento de Abrão. Você pode imaginar um homem de Deus entregando a esposa nas mãos de um ímpio ? Eu só imagino o que estava na cabeça de Sarai ao ser tirada do esposo.
Mesmo assim o faraó deu grande dote a Abrão por Sarai, derramando sobre ele todos os tipos de bênção: ovelhas, bois, mulas, camelos, escravos. De um dia para o outro, Abrão ficou rico. Mas não sei se ele conseguiu dormir aquela noite! Espero que tenha passado as noites prostrado diante de Deus, discutindo sua covardia e falta de fé. Como poderia ele dormir sabendo que a esposa estava nas mãos de um ímpio? Ela poderia ser contaminada, corrompendo a semente da promessa de Deus.
Pergunto-lhe: como tal homem de fé, poderia deixar que isso acontecesse? Abrão esqueceu totalmente as promessas de Deus? Por que não raciocinou: “Eles não vão conseguir me matar. Deus disse que eu viveria até uma idade madura, avançada; prometeu ser o meu escudo, minha proteção!”


A Verdade, é que Abrão Não Corria Perigo !


Houvesse Abrão confiado em Deus, houvesse ele se levantado com ousadia e declarado: “Esta mulher é minha esposa. Tirem as mãos!” - Deus teria o honrado. O Senhor teria protegido tanto a ele quanto a Sarai. “Se somos infiéis, ele permanece fiel, pois de maneira nenhuma pode negar-se a si mesmo” (2 Timóteo 2:13). O significado real  deste verso é: “Se somos sem fé, mesmo assim Ele continua fiel...”
Se você estivesse lá naquele dia com Abrão, provavelmente teria dito a esse homem: “Abrão: você realmente está atrapalhado. Você é considerado homem de Deus; Ele lhe apareceu pessoalmente, e lhe deu todas as promessas. Mas agora você está fracassando inteiramente. Você manipulou e tratou mal sua adorável esposa. Você pecou contra a luz, Abrão; é indigno das bênçãos que Deus prometeu. Você está acabado!”
Não! Isso nunca esteve na mente de Deus quanto à Abrão. Deus é fiel - mesmo quando não somos! No momento que Abrão entregou a vida para o Senhor, Deus tinha um plano para ele. E Deus não ia permitir que algumas circunstâncias do momento, ou alguma falha impedissem Seu propósito eterno para a vida de Abrão.
O Senhor tinha lhe prometido: “Serei o teu escudo!” E agora Deus se move para fazer valer Sua promessa: Ele manda tormento sobre a casa do faraó! Creio que a doença que Ele manda sobre eles, tornou impossível que algum homem tocasse Sarai. Deus travou os úteros, bloqueando os homens! O faraó não encostou a mão em Sarai!
Então Deus escudou Abrão e a esposa. Agora não havia possibilidade de algum ímpio do Egito dizer: “A semente foi contaminada!” Não - Deus foi fiel, mesmo quando o Seu povo não foi!
De algum jeito o faraó percebeu o ocorrido. Não sabemos se Sarai confessou a ele, ou se o Senhor lhe revelou. Mas quando ele descobriu que ela era casada, repreende Abrão dizendo: “Por que você fez isso?” “...toma-a e vai-te” (verso 19). “E Faraó deu ordens aos seus homens a respeito dele; e acompanharam-no, a ele, a sua mulher e a tudo que possuía” (Gênesis 12: 17-20).
O plano de Deus para Abrão continuou ininterruptamente. Não foi frustrado pela falta de fé de Abrão, apesar de este ter falhado lamentavelmente com Deus. Igualmente, amado, seja o que for que Deus determine para a sua vida, não será impedido, se simplesmente você colocar sua vida nas mãos dEle. Ele é fiel em relação aos Seus propósitos para nossas vidas - mesmo quando não somos!
Abraão agora tinha noventa e nove anos, e Sara (como era chamada agora) tinha quase noventa. Ao logo dos anos Abraão tinha visto a fidelidade de Deus em todas as áreas de sua vida. Ele havia derrotado os reis que invadiram Sodoma, havia resgatado Ló e sua família, tinha encontrado Melquisedeque, rei de Salem, tinha tido um filho, Ismael.
Você não acha que em vinte e quatro anos Abrãao teria aprendido a confiar inteiramente no Senhor? Ele teve todos estes anos a mais vendo o poder de Deus guardando sua vida; vendo a direção e a intervenção de Deus em todos seus caminhos.
Mas em Gerar, algo parecido sucedeu. O rei Abimeleque, que dirigia a região, pôs os olhos em Sara - e a quis para o harém! (Esta mulher deve ter sido extraordinária. Eu gostaria de saber qual o sabonete que Sara usava, que tipo de regime ela fazia, que ginásticas fazia - para ser desejada aos noventa anos. Para todo lado que fosse, se espalhava a fama da sua beleza - tanto que os reis mandavam buscá-la!)
O que Abraão faz de novo? Vai até Sara e diz: “Quero pedir para você me ajudar de novo. Você precisa dizer que é minha irmã. Sara, a minha vida está nas suas mãos!”
Você acredita nisso? Ele continuava covarde depois de vinte e quatro anos! “...Abimeleque, rei de Gerar, mandou buscá-la” (Gênesis 20:2). Sara foi para mais um harém pagão - porém a semente de Deus ainda não tinha nascido. Mais uma vez Abraão colocou sua esposa, sua família e o futuro Israel em jogo.
Se você estivesse lá testemunhando isso, sem dúvida iria se perguntar: “Que tipo de homem é esse? Será mesmo um exemplo de fé, o retrato de um homem que crê em Deus? Ele mente abertamente!”
Ainda assim, qual foi a resposta de Deus? Ele não tratou com Abraão do jeito que nós faríamos. Ele não disse: “Esta foi demais! Eu lhe tirei da confusão a vez anterior, e agora volta a ceder do mesmo jeito. Será que algum dia você vai crescer em Mim, Abraão?”
“Agora vou lhe castigar. Você precisa entender o quanto falhou, Me entristeceu, deixou de confiar em Mim. Vou tirar o corpo e deixar que você arque com as conseqüências. Agora você vai colher o que plantou!”
Não - nunca! “Se somos infiéis, ele permanece fiel...” (2 Timóteo 2:13). Deus não reprovou e nem abandonou Abraão para que ele resolvesse tudo por si. Pelo contrário, o plano de Deus para Abraão manteve-se sem problemas, e conforme o planejado!
Deus fez com Abimeleque o mesmo que havia feito com o faraó: travou os úteros! Ninguém podia tocar Sara. Deus disse a Abimeleque: “...ter impedido eu de pecares contra mim e não te permiti que a tocasses” (Gênesis 20:6).



Como Jonas, respondi: “Chega, Senhor. Não agüento mais! 
 Vou poder testemunhar livremente sem todas essas obrigações. Não estou fugindo de Ti, Senhor - eu Te amo.
 Eu só acho que não sou o homem de Deus que deveria ser.”
O Senhor disse: “Faça a volta no carro agora,  antes que você faça alguma besteira.” Mas continuei dirigindo. Aí, de repente, ouvi Sua voz dizendo claramente: “
- faça o retorno já! Se você dirigir mais cinco quilômetros, estará só!”
O temor de Deus me atingiu e me deixou bambo! Nunca quis que Deus retirasse Seu Espírito de mim. E aquele aviso tinha sido Sua amorosa mão, restringindo-me! 
Diga: quantas vezes você esteve à beira de cometer um erro estúpido, terrível. Mas aí a ação restritiva do Espírito veio sobre você, dizendo: “Pare - pare já!” Mesmo quando somos infiéis, Ele permanece fiel. Ele vem nos refrear, nos segurar - para evitar que façamos tolices!



E a Infidelidade de Davi ?

Quando Samuel ungiu Davi para ser rei de Israel, o jovem recebeu um coração novo: “Tomou Samuel o chifre do azeite e o ungiu no meio de seus irmãos; e, daquele dia em diante, o Espírito do Senhor se apossou de Davi...” (I Samuel 16:13).
Davi se tornou um homem piedoso, sábio, amado, cheio do temor do Senhor: “Davi lograva bom êxito em todos os seus empreendimentos, pois o Senhor era com ele” (18:14).
Ele era um homem de muita oração. Louvou o Senhor como poucos, bendizendo o coração de Deus com seus cânticos e salmos. Ninguém deve ter sido mais íntimo do Senhor que Davi.
Davi era também um homem de muita fé. Destruiu Golias e se tornou poderoso guerreiro para Saul. As mulheres cantavam suas proezas em batalha. O Espírito de Deus claramente estava sobre esse homem, e o Senhor obviamente tinha um plano para sua vida.
Mas então Saul foi atrás de Davi com ira, e Davi teve de fugir. Para escapar com vida, se escondeu nas cavernas. Após algum tempo, Davi simplesmente se cansou da batalha. Ficou esgotado, e não agüentava mais. Ele deve ter pensado: “Se sou tão especial para o Senhor, se sou ungido Seu, escolhido para essa hora - então por que estou nesta tremenda dificuldade? Por que há tantos contra mim?” 
Então, Davi pegou 400 de seus homens e fugiu para Gate - a cidade natal do gigante Golias, que ele havia matado. Estamos falando de atitudes de infidelidade? Essa foi uma! Davi não consultou o Senhor quanto à esta ação. Pelo contrário - havia resolvido deixar sua vida nas mãos do rei Aquis de Gate, buscando refúgio nele.
Mas em Gate, se formou hostilidade contra Davi. Todo mundo começou a cochichar: “Este não é aquele homem de quem vivem cantando? Não foi ele que matou milhares de filisteus? Foi ele que matou o nosso gigante!”
Davi foi capturado e levado ao rei. Ele sabia que tinha sido pego, que estava em apuros - então resolveu representar um ato de insanidade! Fingiu que estava louco, delirando sem coerência, arranhando as paredes, babando pela boca. A esperança era que de algum modo, essa “loucura” o livrasse das amarras do rei Aquis.
Mesmo assim, que testemunho pobre foi esse, na frente de todos seus homens! Aquis simplesmente olhou para Davi e disse: “Por que me trouxeram esse louco? Este homem está maluco. Levem-no embora!”
Então, o que aconteceria se nós estivéssemos presentes à cena? Veríamos esse nobre e piedoso homem se agitando como louco, rastejando pelo mato, gritando e se arranhando. E diríamos: “Tu não és o rei de Israel. Que mancada, Davi. Que papel de bobo!”
Em verdade, Davi estava sendo infiel nesta ocasião. Mas Deus ainda era fiel! Ele não riscou o nome de Davi. Não - enquanto Davi agia como louco, com tolices, o propósito eterno de Deus para ele prosseguia. O reino de Saul se enfraquecia à cada dia. Deus estava ajeitando tudo para garantir a bênção de Davi!
Se você fosse a Deus e apontasse as tolices de Davi, creio que Ele teria respondido: “Ungi Davi como rei - e ele será rei! Conheço o seu coração. Ele se arrependerá logo, voltando para Mim - pois tem um coração contrito! Ele ainda está embaixo do meu favor e da minha bênção. E o meu plano para ele ainda está dentro da programação!”
Talvez, como Davi, você atravessou um período meio insano na vida. Enfrentou o caos absoluto - e desistiu, dizendo: “Não agüento mais!” Aí você agiu segundo a carne, fazendo papel de bobo, passando na frente de Deus.
Você acabou zangado consigo mesmo, desapontado, envergonhado. Pensou: “Como uma pessoa ungida, cheia do Espírito como eu, pode ter errado desta maneira? Com certeza Suas bênçãos agora terão de ser tiradas de mim. Fui tão vil, manipulador, desonesto, sem fé. Deus não pode me usar mais. Ele não pode mais estar trabalhando em meu favor!”
Você está tão errado! Deus não permitirá que uma luta sua no momento, interfira no Seu chamado, no Seu plano, e no Seu propósito para sua vida. Você pode ter saido da linha - mas o plano de Deus continua na pista: está correndo à plena velocidade!
Sempre que oro tenho comigo o que chamo de “toalha do choro”. Às vezes estou sob um peso tão grande, que choro nela até não ter mais lágrimas. Oro durante meses por algumas necessidades tremendas - e às vezes minhas orações não têm resposta.
Uma vez derramei um mar de lágrimas - e após orar levantei-me sem paz, achando que a prece não tinha chegado aos céus. Amassei a toalha e joguei-a longe, e gritei: “Oh, Deus - chorei um mar de lágrimas! Orei e supliquei tanto. Mas o Senhor não respondeu! Deus, o que o Senhor quer de mim?”
Afastei-me de coração pesado. E na semana seguinte, orações e mais orações não tinham resposta!
O tempo todo eu estava bravo com Deus, jogando minha toalha na parede, pensando que Ele havia falhado comigo: mas Ele estava trabalhando por trás das cenas! Estava movendo os corações das pessoas, arranjando as coisas - produzindo o plano que Ele tinha em mente o tempo todo.
Tive de correr de volta para Ele arrependido - chorando como um bebê devido à minha infidelidade. “Peço desculpas, Senhor - perdão! Oh, se eu pudesse ter agüentado só mais um dia!”
Não fui fiel no confiar - mas Ele permaneceu fiel!


E Pedro - o Apóstolo que Praguejou, e Negou o Senhor?


Esse foi o homem que disse que nunca deixaria Jesus. Porém, não só Pedro negou que O conhecesse, como o fez em meio à uma torrente de profanações saídas de sua boca!
O que iria acontecer se você estivesse junto ao fogo, ouvindo Pedro? Iria pensar: “Esse é o homem que estava no Monte da Transfiguração? Que impunha as mãos sobre os doentes e os curava? Que recebeu as chaves do reino? Ouça o que está saindo de sua boca!”
“Como um homem desses poderia andar tão intimamente com o Senhor, confessando ‘Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo’ - e depois estragar tudo, mentindo, praguejando e O negando? Para Pedro, tudo acabado. Ele pode voltar para as redes de pesca. Não vamos ouvir mais falar dele.”
Não - nunca! O propósito de Deus na vida de Pedro não foi frustrado. É verdade, Pedro foi terrivelmente infiel. Mas Deus manteve-se fiel. Ele não pode negar quem Ele é!
Se você tivesse corrido ao Senhor gritando: “Não vistes Pedro praguejando sobre Ti?” Ele teria respondido: “Sim, Pedro falhou. Mas conheço seu coração. Daqui a algumas horas ele vai estar em cima dos morros, chorando e se lamentando. Ele vai voltar para Mim; em verdade, está a caminho do Pentecostes, a caminho de uma vida de ministério para Mim!” “Se somos infiéis, ele permanece fiel, pois de maneira nenhuma pode negar-se a si mesmo” (2 Timóteo 2:13).
Não importa o que você tem passado este ano, Deus vê o seu coração! Se você tem um coração quebrantado e contrito, Ele estará presente consigo; o propósito eterno que Ele possui para você não será frustrado. Ele tomará conta de você! 
Isso nos leva à advertência de Deus:


Há Só Uma Coisa Que Pode Levar o Senhor a Se Afastar de Você !


Só uma coisa pode cancelar o maravilhoso propósito de Deus para você - e isso é o pecado do orgulho obstinado! Vemos isso na vida de Saul. As escrituras nos dizem que o Espírito de Deus estava sobre este homem, desde o dia que Samuel o viu descendo a estrada. Deus tinha chamado Saul, e o estava usando.
Mas havia algo em Saul que apareceu rapidamente: orgulho obstinado! Saul não confessava ou admitia seu pecado. Antes, culpava os outros para justificar seus atos. Estava mais interessado em manter as aparências, que em saber o que Deus achava dele.
Amado - essa era a diferença entre Davi e Saul: orgulho! Pense nisso: Davi pecou de maneira tão grave quanto Saul. Afinal de contas, Saul nunca matou o esposo de uma mulher.
Mas Davi rapidamente se arrependeu do pecado. Quando Natã apontou seu doloroso ato, Davi não se justificou. Antes, imediatamente gritou: “Deus, não retires de mim o Seu Espírito Santo! Quero só Lhe agradar. Não quero viver para mim mesmo. Sei que fracassei. Mas, por favor, me perdoe - purifique meu coração!”
Quando Saul foi pego em pecado, por outro lado, agarrou a túnica de Samuel e gritou: “Não tire o meu reino! Por favor - fique do meu lado. Não deixe eu ficar mal diante do meu povo.”
Saul fez o mesmo de sempre. Estava mais interessado no que o povo pensava dele, que no fato de haver entristecido o Espírito Santo!
Amado - é o orgulho, um espírito de soberba inabalável - que derruba os homens! Mas um coração quebrantado, um espírito contrito, aprisiona o coração do Senhor. Não importa o que tenha passado, ou como tenha fracassado com o Deus Todo-Poderoso: se você é como Pedro, se você corre para desabafar diante dEle depois de ter fracassado - Ele estará consigo. Ele sempre está com os que tem o coração quebrantado, e um espírito contrito.
Um pouco antes de escrever esta mensagem, orei: “Senhor - torne-me a Sua voz nestes últimos dias. Sei que não poderei ser a Sua voz a menos que o Senhor continue me transformando. Não poderei falar pelo Senhor, até que as coisas deste mundo passem a significar nada para mim - até que eu seja a imagem de Jesus Cristo. Por favor, Deus - transforma-me.”
Mesmo orando, senti-me tão despreparado - tão distante do que Deus quer de mim. Pensei: “Acho que nunca vou conseguir. Nunca terei o valor suficiente.” 
Amado, o Senhor vai fazer isso com cada um de nós! Ele usa as coisas fracas e tolas do mundo para cumprir Seus propósitos. Todos nós fracassamos com Deus; ninguém em Sua igreja é perfeito. Mesmo assim, cada vez que somos infiéis com Ele, Ele mantém-se fiel conosco!
Então, tire os olhos dos seus fracassos e das suas fraquezas, e os fixe na fidelidade dEle. Ele não pode negar-se a Si mesmo. Ele é inteiramente fiel à Sua Palavra - e cuidará de você em todas as batalhas! Aleluia!

Em Cristo,com amor

domingo, 21 de agosto de 2011

QUEM É O SEU SENHOR?

Ninguém pode servir a dois senhores, porque ou há de odiar um e amar o outro ou se dedicará a um e desprezará o outro. Não podeis servir a Deus e a mamon.

.
O Senhor Jesus declarara abertamente da existência de dois senhores, sendo impossível servir aos dois ao mesmo tempo. Mas que senhores são esses e como agem em nossa vida?
Primeiramente Cristo refere-se ao Senhor Deus e Pai, Deus forte, Poderoso, infinitamente misericordioso, íntegro, santo, puro, o qual não nos deixa desamparado na angústia, e, pelo seu infinito amor ao homem, deu o seu único filho a morrer em sacrifício numa cruz, para todo aquele que nele crê, não pereça, mas tenha a vida eterna.
Jesus fala também de outro senhor, mamon que é o senhor da riqueza, do dinheiro, das luxúrias e do gozo da carne, e dos prazeres deste mundo. Esse deus inspira o homem a ambição e avareza, e direciona o seu coração apenas para as coisas materiais, terrenas e malignas,a prostituição,o adultério as quais Deus abomina.
Há uma lei da física que diz que dois corpos não podem ocupar o mesmo lugar no espaço ao mesmo tempo porem, a mais de dois mil anos atrás Jesus já havia provado está verdade quando disse que "Ninguém pode servir a dois senhores", porque o nosso coração só tem lugar para um Senhor. E esta escolha é minha, eu tenho que decidir quem será o meu Senhor, a quem eu vou servir de todo o meu coração. Ninguém pode servir a dois senhores, não tem como servir a Deus e o pecado, não tem como servir a Deus e às vontades da carne, ao ego (eu), ao Diabo... Jesus quer ser o teu único Senhor e Salvador
Ninguém pode servir a dois senhores porque alguém será desprezado, alguém ficará aborrecido. Se você escolher servir a Deus, com certeza Satanás ficará aborrecido, "porque ou há de aborrecer-se de um e amar ao outro, ou se devotará a um e desprezará ao outro". O pecado será desprezado, a sua dedicação não será mais em fazer a vontade da carne e sim a vontade de Deus.
Querido  gostaria muito que você refletisse com temor nesta palavra e veja quem você tem escolhido para ser o teu senhor neste exato momento de sua vida. Para descobri isto não é tão difícil visto que a palavra de Deus diz:
Romanos 6:16 "Não sabeis que daquele a quem vos ofereceis como servos para obediência, desse mesmo a quem obedeceis sois servos, seja do pecado para a morte ou da obediência para a justiça?".
Não se pode andar para a esquerda e para a direita ao mesmo tempo. Ninguém pode ir para frente e para trás ao mesmo tempo. Costuma-se brincar dizendo que ninguém consegue assobiar e chupar cana ao mesmo tempo.
A minha atitude deve ser vigilante, atenta e decidida por Jesus. É uma decisão radical. É uma decisão definitiva! Eu já tomei esta decisão definitiva por Jesus.
Se Jesus Cristo é o seu Senhor, sirva-o sem medo, testemunhe seu amor. Se há áreas de sua vida que ainda não estão sob o senhorio de Jesus, talvez falte a você uma decisão radical e definitiva… Para ambas as partes: Uma decisão definitiva para Cristo
Viva cada dia, no seu processo, na fase da vida e da fé que você está, que dia após dia o Senhor lhe purificará e dará forças para vencer todo o mal e toda escravidão dos vícios,da prostituição,do adultério para que sejais inteiramente do senhor teu Deus.

Em Cristo,com amor

sábado, 20 de agosto de 2011

COM VOZ DE JÚBILO

Saí da Babilônia, fugi de entre os caldeus. E anunciai com voz de júbilo, e fazei ouvir isso, e levai-o até ao fim da terra; dizei: O SENHOR remiu a seu servo Jacó


Isaías 48.20


Deus ordenou que Seu povo saísse da Babilônia, pois a morada de todos os demônios não serve para abrigar os separados pelo Senhor. Hoje, os iluminados pela Verdade precisam logo tomar a decisão de sair de onde o engano é ensinado. Os que pesam os prós e os contras jamais são bem-sucedidos na vida espiritual. O ato de confiar em Deus se prova quando há um preço alto para se obedecer a Deus.
Os servos do Senhor têm de fugir de entre os caldeus, pois seus costumes irritam o Todo-Poderoso. Esses costumes possuem a capacidade de enganar até os próprios escolhidos. No meio deles, a iniquidade sobeja sem que eles possam sentir. Quem deseja, de coração, agradar ao Senhor deve distanciar-se do povo da babilônia antes que os espíritos perdidos dessa terra os tornem babilônicos também.
Outra informação importante é que a mensagem de libertação precisa ser anunciada com voz de júbilo, porque o que ela promete fazer é digno de ser entregue com contentamento; desse modo, os tristes verão a diferença, os desvalidos cobrarão forças e os perdidos descobrirão a razão de tal interesse do Senhor. Não se pode esperar sucesso no fazer a obra de Deus se não obedecemos aos Seus preceitos.
A nossa vida deve ser bem-sucedida para que isso sirva de prova do quanto o Evangelho pode fazer por quem não conhece a verdade e, por isso, sofre nas mãos do inimigo. O cheiro suave de Cristo deve ser exalado por nosso intermédio em todos os lugares, para que aqueles que ainda não descobriram os seus direitos em Cristo o façam por meio do conhecimento da verdade, a qual os libertará de qualquer opressão.
Por ser o Evangelho o poder de Deus, não se pode escondê-lO debaixo da mesa, ou em outro lugar. Ele deve ser liberado para todas as pessoas, de todas as partes, tanto em meio a letrados como a iletrados, junto aos poderosos e aos simples. Com isso, não há quem não deseje receber a Vida, que é Jesus.
Como você tem vivido? Não podemos dar o que não temos. O recado que daremos ao mundo tem de ser preciso e bem claro: Cristo já comprou de volta o Seu povo. Se Deus já fez tudo o que era necessário para que os perdidos encontrem o Caminho dos Céus, por que muitos salvos vivem iguais aos que não conhecem o Senhor?
Não há nada que se compare ao verdadeiro Evangelho. Onde ele for pregado, ali estará o poder divino para operar do mesmo modo que o fazia nos dias do ministério terreno de Jesus. Seja forte e destemido. Se alguém vier ao seu encontro pedindo a sua ajuda em oração, ou se o Senhor levá-lo a alguém, ministre o poder de Deus sobre tal pessoa. Quando agirmos como o Mestre agia em Seus dias aqui, os pecadores se converterão.

Em Cristo, com amor,

sexta-feira, 19 de agosto de 2011

AMAS-ME?

"Amas-me? Tu sabes que te amo.
Apascenta as minhas ovelhas.”

 Ser pastor é um privilégio indiscutível e que muitos desejam, afirma o apóstolo Paulo, 1Tm 3: 1. No entanto, a prerrogativa de escolha pertence a Deus, ou seja, é Ele quem separa, chama e capacita pessoas para o ministério pastoral. É mérito divino escolher homens e/ou mulheres para uma obra específica. Ninguém se auto-escolhe para o ministério pastoral.Pedro é o tipo de pastor que precisou passar pelo crivo da avaliação divina, para que, depois de aprovado, pudesse apascentar o rebanho (a igreja) de Jesus. Talvez a pergunta mais difícil que, em toda a sua vida, precisou responder foi a respeito de suas convicções sobre o amor a Jesus: Amas-me? Por três vezes Jesus fez a mesma pergunta e por três vezes Pedro respondeu: “Senhor, tu sabes que te amo”, João 21: 15-17.
 Está evidente no diálogo entre Jesus e Pedro, que a base fundamental para pastorear ou apascentar um rebanho é um coração apaixonado por Jesus. Pedro compreendeu isto, depois que provou por três vezes que o seu amor por Jesus não era imaginário e momentâneo, mas legítimo, consciente e pessoal. Aprendeu que o amor a Jesus era o requisito  mais relevante de sua vida ministerial.
Amas-me? Esta é uma pergunta que Jesus faz a todos os cristãos. Devemos estar certos de que para servir ao Senhor é necessário, acima de qualquer ato ou bem neste mundo, amá-lo de coração. Em se tratando do pastor, especificamente, que é visto por todos como exemplo do rebanho, amar a Jesus é a maior garantia de que se está preparado para apascentar suas ovelhas - a igreja.
As três perguntas que Jesus fez a Pedro, bem como as três respostas dadas por ele a Jesus. Perceberemos que se trata de perguntas e respostas que caracterizam um teste de aprovação ministerial, que nos leva a refletir sobre o valor e a responsabilidade de apascentamento do rebanho do Senhor.
Teste 1: Amas-me?
Na primeira vez em que Jesus indaga a Pedro, v. 15, percebe-se que está em discussão a questão do amor de devoção ou amor sem interesses, ou seja, Jesus queria saber se ele o amava com a mente (inteligência) e com o coração (emoção). Isto se explica pela força da origem da palavra amor que aparece no verso 15: “Amas-me mais do que estes?” Pedro, sem vacilar responde: “Senhor, tu sabes que te amo”. Pedro é, a princípio, aprovado: “Apascenta os meus cordeiros”.Quando Jesus pergunta se Pedro o amava mais do que “estes”, ele poderia estar se referindo à profissão e à vida secular deste discípulo, ou ao amor com que os outros discípulos o amavam. Verdade é que Jesus queria saber se o amor que estava no seu coração era superior a todas as demais coisas. Pedro precisava provar que o seu amor por Jesus era inigualável e superior a tudo. Isto o capacitaria para o grande ministério que Deus tinha a realizar em sua vida mais tarde, 1 Pe 1: 1.
Uma das lições que se tira desta conversa é a compreensão de que o pastorado é, sem sombra de dúvida, uma questão de sincera e constante devoção, isto é, é preciso apego, compaixão e amor ao ministério. É bom lembrar que Jesus estava pondo à prova a capacidade de Pedro em amá-lo em comparação a tudo nesta vida (dinheiro, bens, status, posição, etc.). Jesus tinha de ocupar o lugar máximo em seus projetos e objetivos. Era o Reino de Deus que estava sendo aclamado como prioridade, Mt 6: 33.
Teste 2: Amas-me
Nesta segunda etapa do diálogo entre Jesus e Pedro, o que se vê é uma reiteração do que se passou no primeiro momento, v. 15, e que, não sabendo Pedro, seria o mesmo assunto da terceira pergunta, v. 17. Segundo os estudiosos, a insistência ou a repetição do “amas-me” se dá pelo fato de que Pedro tenha, enfaticamente, negado a Jesus três vezes, por ocasião do julgamento, Mt 26: 75. À semelhança da primeira resposta, Pedro profere com sinceridade estas palavras: “Tu sabes que te amo”, v. 16.
Interessante que, ainda, continua em discussão o amor desprendido de interesses pessoais ou humanos. Jesus insistia no amor de devoção à sua pessoa e obra. Ele não desistiu de inquirir o coração de Pedro com a mesma pergunta: Amas-me? Nesse momento, pode-se ver que Pedro aparece mais submisso do que em qualquer outro momento. Agora não é mais aquele homem ostensivo e arrogante, como em outras ocasiões, Mt 26: 21-35.
Diante da experiência de Pedro, seria bom que cada um de nós meditasse na relevância do chamado ministerial. Deus não chama ninguém por acaso, nem tampouco para satisfazer o ego de alguém. Por outro lado, precisamos estar conscientes de que o ministério é algo sublime e está acima de qualquer posição ou bem. O homem ou a mulher de Deus não deve barganhar o ministério por nada neste mundo. Muitos já perderam de vista o amor a Jesus e à sua obra, que é o elo de sustentação em meio aos constantes desafios no pastorado. Jesus chamou você, meu irmão, para ser pastor de ovelhas.
Teste 3: Amas-me?
O discurso de Jesus parecia ser redundante. Pela terceira vez pergunta a Pedro a mesma coisa: amas-me? Se fosse antes da morte de Jesus, talvez Pedro respondesse assim: Senhor, eu não já falei que te amo? O Senhor já me perguntou isso duas vezes e eu já disse que te amo! Mas, muito pelo contrário, Pedro entristeceu-se por Jesus ter dito pela terceira vez: Tu me amas? Sua convicção bíblico-teológica estava sendo duramente provada ou testada. Com profunda tristeza no coração, expressa pela última vez: “Tu sabes que te amo, Senhor”, v. 17.
É bom lembrarmos que a metodologia de Jesus, desde o início de sua conversa com Pedro, estava marcada por esta indagação: amas-me? O Mestre não se prendeu ao luxo em usar palavras bonitas, eloqüentes e poéticas. Durante o tempo em que esteve na terra, pregando o evangelho, sua filosofia ministerial sempre esteve embasada no amor. A insistência de Jesus serviu para testar a fé, o amor, a perseverança e as convicções desse discípulo para que, mais tarde, seu ministério fosse consolidado .
Jesus estava ensinando que, se Pedro não o amasse acima de qualquer coisa, jamais estaria apto para pastorear seu rebanho. Talvez este tenha sido um princípio já esquecido por muitos. Não tenho dúvidas de que o que verdadeiramente encoraja e leva um pastor a se desgastar e trabalhar na obra do Senhor não é a recompensa do dinheiro e dos bens materiais, mas o amor por Jesus e ao seu rebanho, a paixão pelos pecadores perdidos e a certeza de que a obra é de Deus e dele vem a nossa recompensa.
Concluindo, percebemos que o teste a que Pedro foi submetido era composto por três perguntas apenas. Interessante que as perguntas e, conseqüentemente, as três respostas foram sempre iguais: Amas-me? Tu sabes que te amo! Apascenta as minhas ovelhas.
Com isso, aprendemos que o requisito essencial para o sucesso no ofício pastoral, segundo a teologia de Jesus, será sempre este: primeiro: amar a Jesus; segundo: amar a Jesus; terceiro: amar a Jesus. Exatamente por isso que Pedro foi bem-sucedido em seu ministério e reconhecido mundialmente como o verdadeiro APÓSTOLO do Senhor.
Em Cristo,com amor

Follow by Email

PREGAÇÕES EM DVD

PRESENTEIE A QUEM VOCÊ AMA,EVANGELIZANDO COM AS MENSAGENS DOS NOSSOS CULTOS,FAÇA SEU PEDIDO ATRAVÉS DO NOSSO SITE www.igrejacvv.com.br. PARTICIPE DO NOSSO MINISTÉRIO!

ACESSE NOSSO SITE

www.igrejacvv.com.br E ASSISTA CULTOS ON LINE

Sobre nós

A Igreja Pentecostal Caminho, Verdade e Vida é uma instituição inspirada por DEUS para alcançar os corações das ovelhas perdidas da casa de Israel por toda a face da terra.
Com o evento da criação do Ministério Caminho, Verdade e Vida, o Senhor JESUS revelou ao coração do presidente Pastor Gilberto Luiz Chaves o seguimento das três portas do Santuário que Moisés realizava para a adoração do SENHOR DEUS durante o trajeto do êxodo do povo de Israel pelo deserto.
O santuário era composto com três seções para adoração, onde uma delas apenas ao sumo sacerdote era permitido pelo poderoso DEUS adentrar em adoração; A cada seção do santuário havia uma porta .
Hoje com a Graça de DEUS através de seu filho unigênito JESUS CRISTO, essas portas foram substituídas pela GRAÇA DE CRISTO QUE LEVOU SOBRE SI AS NOSSAS DORES E AFLIÇÕES, e a cada porta daquele santuário de outrora, hoje conhecemos que a 1ª porta do santuário é o CAMINHO, a 2ª porta do santuário é a VERDADE, finalmente a 3ª porta do Santuário é a VIDA.
Assim, JESUS é o Caminho e a Verdade e a Vida, como diz no Evangelho de João 14: 6, o santuário vivo do Poderoso DEUS, onde toda a adoração é devida a ele, pois, diz a sua palavra:
“Ninguém vem ao Pai senão por mim”
Desta forma Pastor Gilberto Luiz Chaves teve inspiração de DEUS a denominar A Igreja Pentecostal Caminho Verdade e Vida para realização de trabalho de evangelização e divulgação das Boas Novas a todas as criaturas dispostas a encontrar o SENHOR E SALVADOR JESUS CRISTO.
Pastor Gilberto Luiz Chaves é advogado militante com especialização em advocacia Previdenciária, formado desde 1985, exerce suas atividades profissionais seculares regularmente com escritório fixo há mais de 13 anos no mesmo local; foi batizado em 20 de junho de 1990 no Rio Jororó iniciando seu Ministério de Diaconato, quando em 2006 foi consagrado Evangelista pelo Pastor Oscar Luiz de Oliveira Presidente da Assembléia de DEUS Fonte de Amor donde concluiu então o Curso de bacharel em Teologia da Faculdade de Educação Teológica do Estado de São Paulo em 2007, iniciando o Ministério Pastoral.
A igreja Pentecostal Caminho, Verdade e Vida detém a valorosa contribuição do Pastor NELCY CHAVES, regularmente inscrito na ORDEM DOS MINSTROS DO BRASIL, homem de fé com mais de 20 anos de Ministério já Pastoreou nas Igrejas Missionária Cristã, Comunidade Ramá, Assembléia de DEUS em Gramacho e agora com mais de 80 anos de idade é colocado como ESTACA DE ORIENTAÇÃO USADO PELO PODEROSO DEUS.
A igreja Pentecostal Caminho, Verdade e Vida esta nos braços do SENHOR JESUS a esperar por todos os cansados e oprimidos para a divulgação das boas novas, pois, disse JESUS:
Mateus 11:28
Vinde a mim, todos os que estai cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei.







Arquivo do blog