Total de visualizações de página

sábado, 31 de dezembro de 2011

PARA ISTO FOMOS SALVOS

Salva-nos, SENHOR, nosso Deus, e congrega-nos dentre as nações, para que louvemos o teu nome santo e nos gloriemos no teu louvor. 


Salmo 106.47


A melhor oração é a que as Escrituras chamam de oração da fé (Tg 5.15), a qual é feita com base na convicção que Deus concede pela Sua Palavra. Ela deve ser realizada para nos livrar de qualquer ataque infernal, desde uma simples dor até uma opressão maior, como, por exemplo, a que, nos tempos bíblicos, os israelitas sofreram. Muitas vezes, eles foram levados cativos e afligidos por outros povos. Porém, quando clamaram ao Senhor, experimentaram o livramento.


O salmista orou: Salva-nos. Nessa palavra, estão incluídas todas as bênçãos de que você pode precisar: cura, prosperidade, solução de um problema conjugal ou financeiro, bem como qualquer outra. Quando estiver em necessidade, ore a Deus, especificando aquilo de que você tem falta, como fez o autor desse salmo. Ele pediu que o seu povo fosse tirado da opressão do inimigo, e o Altíssimo lhe atendeu.


Antes de orar, lembre-se de que o Senhor é o único que realmente pode ser chamado de Deus. Todos os outros chamados de deuses não passam de invenções do homem ou do diabo. Quando alguém ora a eles, acontece com a vida dessa pessoa o que ocorreu com os profetas de Baal, os quais imploravam e se retalhavam (1 Rs 18.28), mas em vão; afinal, o derrotado não lhes podia atender. Isso, porém, nunca ocorrerá com o Senhor, pois Ele, de fato, é o Deus Todo-Poderoso.


O salmista foi específico: além da libertação do cativeiro infernal, ele queria que o Altíssimo os congregasse dentre as nações. Você também pode e deve ser completo em seu pedido ao Pai. Não é preciso pedir uma bênção de cada vez, mas, sim, enumerar suas necessidades e clamar ao Senhor que lhe atenda. Por ser Deus verdadeiro, Ele não tem problema em dar solução a todos os seus pedidos. 


O salmista declarou que o propósito de sua oração era que seu povo pudesse louvar o santo Nome de Deus. Assim também você deve proceder ao requisitar as bênçãos divinas. Pense e fale sobre a possibilidade de toda a sua família faça parte do rol de adoradores do Pai. O Altíssimo procura incessantemente pessoas que O adorem em Espírito e em verdade (Jo 4.23). Por isso, Ele ficaria muito feliz em ver todos os seus familiares nesse grupo. 


Louvar a Deus em Espírito e em verdade não significa ficar o dia todo falando palavras de bajulação, mas, sim, viver acima dos problemas, das tentações, vencendo em todos os sentidos. Desse modo, o Senhor será louvado, elogiado por Suas obras em favor daqueles que se deixam ensinar e assumem o caminho do sucesso.


O salmista fez tais pedidos ao Altíssimo, a fim de que os israelitas se gloriassem no louvor de Deus. O verdadeiro louvor, agradável ao Senhor, é que Seus filhos vivam a cura, a libertação e as demais bênçãos que custaram a Jesus um preço muito alto (Is 53.4-7). Somos salvos para nos enchermos da glória divina. Portanto, dê essa alegria ao Senhor, nosso Deus.


Em Cristo, com amor,

sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

A VERDADE BROTARÁ

A verdade brotará da terra, e a justiça olhará desde os céus. Também o SENHOR dará o bem, e a nossa terra dará o seu fruto. A justiça irá adiante dele, e ele nos fará andar no caminho aberto pelos seus passos.


Salmo 85.11-13


Assim como, no passado, os filhos de Israel foram tirados do Egito e levados para uma terra rica de bens naturais, chamada Canaã, também fomos resgatados do império das trevas (Cl 1.13) e conduzidos para o mundo das promessas de Deus, as Boas-Novas de Cristo. Por isso, Canaã simboliza o Evangelho – a terra espiritual onde fomos colocados, a qual é muito melhor do que a física. Devemos ocupá-la, pois, no Evangelho, além de não termos falta de nada, descobrimos a justiça divina.


Pela pregação do Evangelho, a verdade brota por si mesma. Isso significa que não precisamos fazer promessas, sacrifícios nem penitências para conseguirmos a vitória; somente temos de crer no que o Espírito de Deus nos fala pela Sua Palavra, pois, para quem o fizer, o Senhor tem preparado muitas bênçãos.


Ao confiarmos no Senhor, colocamos o poder divino agindo em nosso benefício. De fato, é desde os céus que a justiça de Deus nos vê. Por isso, podemos caminhar tranquilos; afinal, nenhum dardo enviado pelo diabo nos atingirá, e o que ele planeja fazer contra nós cairá por terra. Em Cristo, nós nos tornamos mais do que vencedores ao crermos em Suas palavras, pois o poder do Alto é capaz de operar em nosso favor. Mas, se não cremos, as mãos do Senhor ficam “amarradas”, não conseguindo fazer nada pela nossa vida.


Além de a verdade brotar do Evangelho e a justiça divina nos acompanhar, o Senhor Deus promete-nos o bem. Do que mais precisamos, se temos o bem como dádiva celeste? Por confiarmos no Altíssimo, as bênçãos virão a nós, até mesmo quando não as pedimos; isso acontece pelo simples fato de darmos crédito ao que o Todo-Poderoso nos fala pela Sua Palavra.


A sua terra lhe dará seu fruto. Há muita virtude no Evangelho que você pode desfrutar. Deus tem prometido fazer mais por nós do que jamais pensamos. A própria terra das promessas divinas – a Canaã celestial, o Reino de Deus, para o qual formos transportados – produzirá aquilo de que precisamos para executar o plano divino. Portanto, nunca deixe de cumprir o ensinamento que você aprendeu no Evangelho, pois, assim, será bem-sucedido.


A justiça sempre vai adiante de Deus. Por isso, não haverá portas fechadas para você. Além disso, o inimigo também não conseguirá resistir ao seu avanço em possuir a terra e os bens existentes nela. O Senhor Se alegrará com sua intrepidez e determinação, e, com isso, Satanás não conseguirá impedi-lo de ter êxito em todas as áreas.


Cada pegada do Mestre é uma estrada que Ele abre para você. Portanto, ande no caminho aberto pelos passos do Senhor, o qual deseja fazer grandes obras em sua vida, pois esse é o meio de alcançar o sucesso.


Em Cristo, com amor,

quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

A MAIS NOBRE MISSÃO

E disse o SENHOR: Tenho visto atentamente a aflição do meu povo, que está no Egito, e tenho ouvido o seu clamor por causa dos seus exatores, porque conheci as suas dores. 


Êxodo 3.7


Não entendemos por que certas coisas nos acontecem, mas a verdade é que o Senhor tem um tempo certo para agir em favor dos Seus (Ec 3.1-8). Se, verdadeiramente, os servos do Senhor confiassem nEle, seria automática a libertação dos cativos de Satanás; de fato, o poder do maligno nem chegaria a oprimi-los. No entanto, é justamente pela falta de conhecimento que muitos filhos de Deus encontram-se aprisionados pelo diabo (Is 5.13).


Sem dúvida, a nossa fé coloca o Todo-Poderoso em ação, mas há cristãos que, mesmo assim, aguardam o Altíssimo fazer algo por eles, quando o contrário deveria ser feito: o nosso Deus espera que tomemos a posição de filhos. Quando o fazemos, usando o Nome de Jesus, o poder divino entra em ação, cumprindo o que determinamos. 


É forte, porém verdadeira, a declaração de que a nossa fé põe Deus agindo em nosso favor. Por sinal, o Senhor dá solução aos nossos problemas quando os apresentamos a Ele, com fé e em Nome do Senhor Jesus. Foi isso que o Mestre nos ensinou ao falar da viúva que, diariamente, pedia a um impiedoso juiz que a ajudasse. Embora aquele homem não tivesse respeito por ninguém nem temesse o Senhor, de tanto aquela senhora insistir, ele decidiu atendê-la (Lc 18.1-5). 


A razão de Jesus nos ter ordenado a irmos por todo o mundo e pregarmos o Evangelho a toda criatura (Mc 16.15) se deu por causa da grande obra que Ele fez a fim de beneficiar a humanidade. A mensagem que devemos pregar tem de ser positiva, e, com muita convicção, precisamos dizer às pessoas que elas não devem mais suportar ou levar as suas dores, pois estas já foram carregadas pelo Filho de Deus (Is 53.4).


Temos de ensinar a todos o mesmo que o Mestre ensinava: Ele mostrava como era fácil ser abençoado pelo Senhor e que não havia problema sem solução. Portanto, não podemos transmitir outro recado, pois, se o fizermos, estaremos mostrando que não cremos nEle. Uma vez que Cristo afirmou que os que cressem nEle fariam as mesmas obras realizadas por Ele (Jo 14.12), temos, então, de levar o povo a fazer os seus direitos serem respeitados.


Nos tempos bíblicos, Deus enviou Moisés a fim de levar os filhos de Israel à liberdade física. Quanto a nós, fomos direcionados com a mensagem do Evangelho para fazermos com que os perdidos alcancem a liberdade espiritual. Para isso, Ele nos equipou com autoridade, do mesmo modo que concedera poder a Moisés para fazer Seus sinais. Os nossos sinais beneficiam as pessoas.


Somos os libertadores dos oprimidos e sempre seremos bem-sucedidos nessa tarefa se seguirmos as direções divinas. Porém, se cruzarmos os braços, tais indivíduos continuarão a sofrer na escravidão de Satanás. Não somente temos o privilégio de representar o Senhor, mas também a obrigação de fazer a obra do mesmo modo que Ele fazia.


Em Cristo, com amor,

terça-feira, 27 de dezembro de 2011

ATITUDES A SEREM BUSCADAS

Fogem os ímpios, sem que ninguém os persiga; mas qualquer justo está confiado como o filho do leão.


Provérbios 28.1


Não há por que o crente fiel a Deus angustiar-se quando algum ímpio decide atacá-lo. Ora, o Senhor vela pelo Seu povo com poder e está sempre pronto para ouvir os pedidos de Seus filhos. Portanto, se o diabo tem usado uma pessoa para afligir você – apesar de ela ser ou ter sido membro do Corpo de Cristo –, tão somente ore e peça ao Pai que envie o desespero para ela, a qual o persegue. O resultado será além do que pedimos ou pensamos.


A Escritura não afirma que os pecadores fugirão, pois eles sequer têm capacidade de nos amedrontar; afinal, não têm fundamento para se firmar nas batalhas a travar contra nós. Já os ímpios – dentre os quais, muitos faziam parte do povo de Deus e, por isso, conhecem a bendita Palavra –, por algum tempo, conseguem ameaçar-nos e se firmar em suas posições. Mas, se pedirmos que lhes seja dado o desespero, eles fugirão.


Diante dessa declaração, por que temer os que se desviam e insistem em nos fazer mal? A receita divina nos garante sucesso sem que precisemos usar meios escusos para nos proteger. Tais meios não significam que temos de pedir a ajuda de bandidos, mas, sim, que não é necessário fazer o que o homem normal faria, pois a nossa defesa está na Palavra do nosso Deus.


Ai daquele que se levanta contra o filho de Deus, que conhece seus direitos no Senhor e faz uso deles! Não há quem se sustenha diante dos servos do Altíssimo, os quais lutam com as armas que não são carnais, mas poderosíssimas (2 Co 10.4). No entanto, para que sejam usadas, basta o servo fiel crer no que o Pai fala em Sua Palavra. Então, fique atento e, quando houver necessidade, clame o que lhe tem sido revelado.


A obra é feita invisivelmente. O desespero vem ao coração daquele que se desviou da Verdade e, por isso, ele não aguentará mais nos atacar. Até o pensamento que tem a nosso respeito fará com que ele sinta algo tão estranho que sua única alternativa será fugir. O modo como Deus nos conduz à vitória é a mais segura e produtiva. Ademais, usando o meio bíblico, não seremos atingidos nem derrotados por nada.


Quem confia se torna intrépido como o leão. Se o seu coração não tem essa atitude, busque de Deus a confiança que o fará desprezar a ameaça do ímpio, por mais real e perigosa que seja. Não tome atitude diferente dessa para enfrentar aquele que o persegue.


O sinal de que você confia no Altíssimo se dá pela intrepidez, a ausência de medo. É assim que o Senhor quer que todos os Seus filhos vivam. Portanto, examine-se e, se notar que essa confiança não existe em seu coração, busque-a, pois, sem ela, você não agradará a Deus. Ser ousado diante do ímpio, ou do homem maligno, é nosso dever!


Em Cristo, com amor,

segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

VOCÊ ANDA EM COMUNHÃO COM DEUS?

Se dissermos que temos comunhão com ele e andarmos em trevas, mentimos e não praticamos a verdade.


1 João 1.6


O que conta diante do Senhor é o modo como andamos e o que se passa em nosso coração. Há pessoas as quais confessam que estão na presença do Altíssimo, mas, apesar de passarem o tempo todo citando a Palavra de Deus, em seu interior, têm caminhado com o inimigo.


É bom verificar o que tem ocupado sua mente, bem como o seu coração, pois, se permitir que maus pensamentos o dominem, você não ficará bem. De fato, o que há em seu interior é o que importa.


Existe um grupo de demônios que trabalha na vida de muitos servos de Deus, convencendo-os de que não há problema em abrigar na mente ou no coração certas práticas proibidas pelo Senhor. No entanto, quem acredita neles perde a comunhão com o Altíssimo e, mais cedo ou mais tarde, torna-se habitação desses espíritos malignos.


Na verdade, quando temos comunhão com o Pai, nossos pensamentos e desejos mais íntimos são sempre puros. Quando, porém, permitimos que coisas imundas ocupem o nosso ser, Ele tem de nos deixar a sós, pois não convive com o pecado.


Ser tentado não significa cair na tentação. No entanto, ao se deixar levar por ela, o homem não só cai, mas também se torna moradia das forças das trevas.


Não basta afirmar que você é de Deus; é necessário provar isso. Não interessa o que você diz, mas, sim, aquilo que o Senhor fala a seu respeito. Se algo errado tem ocupado seu coração, você já caiu em transgressão. Nesse caso, arrependa-se o mais depressa possível e não dê mais guarida a práticas imundas e perigosas. Veja bem, a santidade – a justiça do Reino de Deus – deve ser buscada em primeiro lugar (Mt 6.33).


Verifique, agora, se há imundícias ocupando sua mente. Em que você tem colocado os olhos? Quando você se deita, o que se passa em seu coração? Se forem pensamentos pecaminosos, tome cuidado, pois o Espírito Santo não contenderá para sempre com o homem (Gn 6.3).


Obrigatoriamente, nosso testemunho tem de ser verdadeiro. Entretanto, quando deixamos que o erro ocupe nossa mente ou passamos a levar em consideração determinadas atitudes, as quais nos levam ao pecado, andamos em trevas e, então, o pior acontece, pois começamos a mentir. De fato, ao deixarmos o erro invadir alguma parte de nosso ser, mentimos contra a declaração do Senhor de que somos a nação santa de propriedade particular dEle (1 Pe 2.9). Por isso, não mais praticamos a verdade.


Aqui está o perigo: deixar de praticar a Verdade. O inimigo, sabendo que estamos sem condições de lhe resistir, traz seus males e os lança sobre nós. Então, mesmo conhecendo o que as Escrituras dizem ser nosso direito, ficamos impotentes para não cedermos aos ataques do Inferno, pois, assim, é tirada a coroa de nossa cabeça (Lm 5.16). Que horror, não é mesmo?


Que o irmão sempre tenha comunhão com Deus e pratique a verdade é a minha oração.


Em Cristo, com amor,

sábado, 24 de dezembro de 2011

CULTO NO LAR NATAL x264

NENHUM CONHECIMENTO NOS FALTA

E vós tendes a unção do Santo e sabeis tudo.


1 João 2.20


O cristão completo – aquele que nasceu de novo, passou pelo arrependimento, foi batizado no Espírito Santo e está em comunhão com o Senhor Deus – nunca deve usar a desculpa de que fez algo errado porque não entendeu a vontade do Pai. Ora, as Escrituras afirmam que o homem dotado da unção divina sabe de todas as coisas; afinal, esta lhe ensina, pela Palavra e pelo testemunho em seu íntimo, o que o Altíssimo deseja que ele faça.


Temos uma bênção da qual as demais pessoas não podem desfrutar: se tomarmos uma decisão errada, por menor que ela seja, logo sentimos que não agimos corretamente, mesmo não conhecendo o que as Escrituras dizem a respeito daquilo. Isso acontece pelo fato de sermos batizados no Espírito Santo. Esse é o testemunho interior que o nosso Deus nos dá. Desse modo, podemos pedir o perdão do Senhor e não mais voltar a praticar o erro.


Quem anda em comunhão com Jesus, quando erra, logo percebe o desvio, pois vem ao seu coração uma tristeza, e o seu espírito fica sem paz. Tal pessoa continua a ter esse tipo de sentimento até que confesse sua transgressão ao Altíssimo e decida não retornar ao pecado. Feito isso, seu interior se alegra novamente, e logo aquela pessoa se sente na presença divina. Por outro lado, caso não haja arrependimento, ela não mais desfrutará da presença e da amizade de Deus.


Se, por causa de qualquer pecado, a unção não se faz mais presente em nós, o que é errado deixa de nos incomodar. Então, para que os “avisos vermelhos” voltem a se acender em nosso coração, precisamos retornar de onde caímos, uma vez que somente com a confissão verdadeira e o total abandono do que é proibido voltamos a ter paz com Deus. Enquanto um indivíduo estiver fora de comunhão, não provará do amor e da proteção do Senhor durante as tentações.


O bom de estarmos bem com Deus é que as Escrituras permanecerão abertas para nós e o poder divino sempre operará quando determinarmos uma bênção ou repreendermos as investidas do inimigo. Se você não tem recebido nenhuma revelação durante a pregação da Palavra, ou da leitura bíblica, ou as orações não o emocionam mais, talvez você esteja tomando atitudes que não agradam ao Pai.


Se, em sua vida, só tem sucedido o que não presta, e os seus dias têm sido tristes, difíceis, ou seus clamores não têm sido respondidos, não aceite essa situação como se ela fosse parte do plano divino. O Todo-Poderoso não possui outros projetos a não ser os que estão revelados na Bíblia. Então, vá até Ele em oração e peça-Lhe que lhe mostre onde você tem caído. Quem seguir essa orientação não será uma presa nas mãos do diabo.


A unção divina lhe ensinará tudo – desde o que o impede de ter o poder de Deus agindo em seu favor até a falta de compreensão do que está escrito no Livro Sagrado. Uma coisa é certa e jamais será modificada: o Senhor não muda Sua Palavra (Lc 21.33)! Além disso, a vida abundante é nossa e jamais nos será tirada. Portanto, creia que você é vencedor sobre todas as coisas!


Em Cristo, com amor,

sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

O Anjo

JUSTOS E MALFEITORES

Porque os olhos do Senhor estão sobre os justos, e os seus ouvidos, atentos às suas orações; mas o rosto do Senhor é contra os que fazem males.


1 Pedro 3.12


Os justos sempre se destacam por serem zelosos. Eles nunca são capazes de fazer o mal, ainda que seja àqueles que os fazem padecer por amor à justiça. Para eles, sofrer por amor a Cristo e à Sua obra sempre será um prazer do qual não abrem mão. Se você treme ao pensar no que faria se vivesse em uma terra onde há perseguição aos que servem a Deus, provavelmente, não se classifica como justo.


Quem teme o que lhe pode acontecer por servir a Deus ainda não é completo na fé. Ora, o justo não tem noção de medo. Para ele, o que interessa é obedecer a Cristo, sem se importar com o preço a pagar por isso. Já os que não são completos na fé ficam turbados com o pensamento do que lhes poderia suceder por causa da fé que dizem ter no Senhor. A verdade é que o Pai cuida daqueles que são dEle verdadeiramente.


Perde muito o cristão que responde com agressividade ao ser ofendido. A verdade é que não importa o que falem de nós, pois já fomos alertados de que isso ocorreria (2 Tm 3.12). O Senhor Jesus nos advertiu de que, se falaram mal dEle e O perseguiram, quanto mais a nós, Seus servos (Jo 15.20). Contudo, ser caluniado, injuriado e difamado por amor a Cristo é prerrogativa de todos os que têm um grande galardão à sua espera.


O filho de Deus jamais deve pagar o mal com o mal; antes, precisa bendizer os que são usados pelo inimigo para afrontá-lo. Fomos chamados para pregar em todas as situações, inclusive em momentos difíceis e perigosos. Existem pessoas que só se converterão quando a medida da maldade que existe nelas esgotar-se. Quem for usado para ganhá-las, certamente, receberá uma enorme recompensa. 


O nosso alvo deve ser alcançar a bênção. Se aguentarmos o que o Senhor permitir que venha contra nós, sem dúvida, seremos recompensados. Todavia, se fugirmos diante da ameaça de perseguição, seremos comparados a mercenários, que, por não serem pastores, fogem diante do lobo. Há várias maneiras de glorificar o Senhor com a nossa morte. Se Ele escolheu alguma da qual não gostaríamos, devemos aceitá-la com alegria.


Os servos de Deus devem apartar-se do mal; com isso, eles não se submeterão aos reclames do maligno. Quem permite que o diabo o use fica nas mãos dele. Por outro lado, os filhos do Altíssimo devem procurar fazer o bem, o que significa levar a boa Palavra do Senhor aos perdidos, ajudando-os com fé e oração.


Buscar a paz é de muito lucro para quem é de Deus. Para consegui-la, eles deve consagrar-se com jejum e oração, se for necessário. Depois que encontrar a direção divina, precisa segui-la, o que agradará de modo pleno a Deus. Não nos podemos esquecer de que a alegria do Senhor é a nossa força (Ne 8.10b).


Em Cristo, com amor,

quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

açao do impossivel 6 x264

O MELHOR AGRADECIMENTO

Que darei eu ao SENHOR por todos os benefícios que me tem feito? Tomarei o cálice da salvação e invocarei o nome do SENHOR. 


Salmo116.12,13


Como dói ver pessoas catando restos de comida nos lixões! Também nos sentimos mal quando, por exemplo, a imprensa expõe fotografias de adultos e crianças esqueléticos, muitos dos quais não têm forças para se erguer em razão da fome, e mostra imagens de barracos construídos com folhas de papelão velho e latas retorcidas, usados como abrigo. No entanto, viver na miséria espiritual é muito – mas muito – pior do que na física.


De fato, a extrema pobreza não se compara àquilo pelo qual muitos filhos de Deus estão passando neste exato momento. Tais pessoas não sentem a presença do Senhor nem aproveitam a autoridade do Nome de Jesus para serem curadas e viverem longe das tentações. Consequentemente, não conseguem realizar nada de especial em favor de si mesmas, dos familiares e do próximo. Mas esse não é o tipo de vida prometido aos que são membros do Corpo de Cristo!


O Senhor Jesus beneficiou grandemente a humanidade: primeiro, em Seu ministério terreno, Ele nos mostrou como fazer a obra de Deus, ordenando, inclusive, que fizéssemos o mesmo que Ele (Jo 14.12); contudo, o que tem restado é uma religião morta, infrutífera, a qual não traz benefício algum a ninguém. Depois, na cruz do Calvário, Ele sofreu por nós, tomando sobre Si os nossos pecados, as nossas doenças e o castigo que nos traz a paz (Is 53.4,5).


Portanto, diferentemente de muitos religiosos, os que conhecem o verdadeiro Evangelho são positivos, vivem usufruindo o poder divino e mostram, em todas as partes, que a fé realmente opera. No entanto, o que essas pessoas podem fazer a Deus por todos os benefícios que Ele lhes tem concedido? Essa foi justamente a pergunta feita pelo salmista, o qual, imediatamente, respondeu que faria duas coisas: tomaria o cálice da salvação e invocaria o Nome do Senhor.


Como a Palavra foi dada sob inspiração divina, é de suma importância que prestemos atenção ao que foi dito, pois, em sua declaração, há dicas reveladas pelo Santo Espírito. Quem tomar o cálice da salvação e invocar o Nome do Senhor também provará que essa receita é uma das melhores para agradecermos ao Altíssimo por tudo o que Ele tem realizado em nossa vida.


Em primeiro lugar, precisamos sorver o cálice da salvação – ver o que há dentro dessa bendita obra realizada por Cristo em nosso favor e, sem duvidar, colocar-nos com fé diante dEle, dia e noite, para que, na batalha, tenhamos Sua ajuda e nada se perca. Se Jesus carregou nossas doenças, por que temos de senti-las? Se Ele sofreu os nossos pecados, por que erramos? Se o Mestre sofreu o castigo que nos traz a paz, por que não desfrutamos dela?


Em segundo, precisamos invocar o Nome do Senhor. Essa é uma das mais importantes informações que temos, pois é desse modo que conseguimos o que já nos foi feito. Agindo assim, damos ao Pai o melhor dos agradecimentos, que é usufruir da vida abundante que Ele nos veio dar (Jo 10.10b).


Em Cristo, com amor,

quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

ENTRE PELAS PORTAS QUE LHE SÃO ABERTAS

Abri-me as portas da justiça; entrarei por elas e louvarei ao SENHOR.


Salmo 118.19


Cada revelação que temos da Palavra de Deus é como uma porta aberta a nós. O Senhor Jesus afirmou ser a Porta (Jo 10.9). Porém, dentro dessa Porta – a Palavra de Deus –, o Altíssimo ainda nos abre muitas outras, as quais são as revelações das Escrituras. Por elas devemos ingressar para reivindicar o que nos pertence. Quem não age desse modo, apesar de ter sido iluminado, fica sem a bênção divina.


O salmista orou para que lhe fossem abertas tais portas, as quais ele menciona no plural e chama de portas da justiça. Do mesmo modo, devemos orar para que o Pai nos abra as portas pelas quais precisamos entrar, a fim de assumirmos o que é nosso. Então, uma vez abertas, devemos imediatamente nos esforçar para entrarmos por elas, e não ficarmos orando para que o Altíssimo nos dê a bênção revelada.


A timidez de assumirmos o que é informado como sendo nosso por direito nos impedirá de ficarmos livres das ameaças infernais. Ora, não é bom frustrarmos o Senhor. Portanto, quando Deus nos faz entender que algo na Palavra nos pertence, isso é assunto encerrado para Ele. Então, nem precisamos interceder mais por aquilo, porém, temos de determinar a vitória. De fato, tomar posse da bênção é a atitude mais correta.


Para o salmista, estava claro: se as portas lhe fossem abertas, ele entraria por elas. A mesma atitude deve ser tomada por todos os filhos de Deus, pois Ele não nos abriria uma porta para, depois, negar-nos acesso ao Seu celeiro. Sempre tenha em mente que Ele é o nosso Pai e Se sentirá recompensado se nos assentarmos à mesa e fizermos a refeição com gratidão e destemor. O Altíssimo conhece o seu coração e, por isso, sabe muito bem se você terá coragem ou não de entrar pelas portas abertas por Ele. Ora, se não é para você tomar conhecimento do que lhe pertence, por que Ele lhe abriria tais portas? Examine suas últimas atitudes e, se descobrir que tem desperdiçado o que Ele já lhe tem dado, peça-Lhe perdão, acerte-se e prepare-se para não mais errar.


O escritor desse salmo disse que louvaria o Senhor. O mesmo devemos fazer sempre que tivermos assumido nossos direitos. Este é o propósito maior das bênçãos celestes: render louvores ao Altíssimo. Contudo, isso é mais do que pronunciar palavras de agradecimento; é mostrar aos outros o que recebemos por crermos nEle, o que fará com que muitos oprimidos também desejem procurá-lO.


O verdadeiro louvor fará com que outras pessoas se interessem em buscar a Deus e fazer Sua vontade. Com isso, além de ser abençoado com aquilo de que você precisa, o Todo-Poderoso o ajudará a receber mais e mais; assim, outras pessoas irão buscá-lO e serão salvas. O maior propósito divino para toda a humanidade é que todos, de todas as partes, tenham o pleno conhecimento da Verdade (1 Tm 2.4).


Em Cristo, com amor,

terça-feira, 20 de dezembro de 2011

A QUEM DEUS PROMETE PRESTAR ASSISTÊNCIA




Bem irá ao homem que se compadece e empresta; disporá as suas coisas com juízo. 


Salmo 112.5


Para algumas pessoas que, aparentemente, servem a Deus, nada dá certo. De fato, parece que elas não têm a ajuda divina no que fazem, e, ainda que tentem emendar-se, tudo continua dando errado. Elas não entendem que deixar de cumprir as ordenanças contidas na Palavra do Senhor as leva a não terem a mão divina operando em favor delas. Como aconteceu com Jonas – o profeta fujão, que se recusou a seguir a direção de Deus –, o mesmo ocorre com elas.


As Escrituras declaram que o homem que se compadece do próximo e empresta o necessário é diferente, pois sempre vai bem. É bom fixar a atenção nessas duas palavras, pois elas são a causa do sucesso de alguns e do fracasso de outros. O melhor é obedecer às orientações celestes, pois o Altíssimo não falaria desse modo se isso não fosse de suma importância e se Ele não nos quisesse ver comendo do bom e do melhor.


Ter um coração compassivo pelas necessidades do próximo é bom. Há, inclusive, muitos que não servem ao Altíssimo, mas se compadecem dos necessitados. Como é um livro para o coração, sem dúvida, a Bíblia nos orienta a termos compaixão pelos que têm caminhado a passos largos para a destruição eterna, os quais vivem enganados pelas mais diversas doutrinas religiosas, que nada têm de Deus.


Tais pessoas se especializam em ensinos que jamais as aproximam do Senhor. Algumas não se cansam de fazer sacrifícios, penitências e práticas desnecessárias. A verdade é que os perdidos não estão no erro por acaso; são enganados pelos piores demônios – os que se passam por anjos de Deus, mas fazem com que as pessoas continuem tomando atitudes condenadas pelas Escrituras.


Os que se compadecem delas não medem esforços para ajudar o que faz a obra de modo bíblico. Eles se consagram com jejuns e orações, até que as vejam rendendo-se aos pés do Salvador. Quem tem essa atitude fica como um memorial diante do Pai, que, no momento certo, estende Sua mão e, então, derrama Suas bênçãos sobre aquela vida.


O significado do verbo emprestar, usado nessa passagem bíblica, vai além de socorrer um endividado, com dinheiro ou bens materiais; trata-se de usar a fé em seu benefício. Com isso, o servo de Deus empresta ao Senhor o que dEle tem recebido. Como pagamento, obtém o favor divino, o qual o leva a tomar sábias decisões. Portanto, não perca a oportunidade de sempre se compadecer de quem precise da sua fé e de emprestar a ele. Você só tem a ganhar obedecendo ao Altíssimo.


Essas pessoas verão que terão a capacidade de dispor do que lhes pertence com juízo, pois o próprio Deus as ajudará a escolher a melhor opção. Em outras palavras, podemos dizer que elas terão o Senhor como seu Defensor, como Advogado na hora da decisão. Vale ou não vale a pena fazer o que alegra o Pai? Com certeza, sim!


Em Cristo, com amor

segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

COMO SAIR DA ANGÚSTIA

Invoquei o SENHOR na angústia; o SENHOR me ouviu e me pôs em um lugar largo. 


Salmo 118.5


Quando o corpo, a mente ou o espírito ficam sobremodo aflitos, só há uma maneira correta de se livrar disso: invocar o Senhor. Quem tenta viajar, por exemplo, para ficar livre da angústia, até pode se sentir melhor por um curto espaço de tempo, mas, depois, toda a opressão volta. Os que se dão a práticas religiosas também observarão que o alívio não foi completo; porém, somente aqueles que invocam o Altíssimo de todo o coração conseguem realmente se livrar desse mal.


A angústia é uma opressão do Inferno. Se alguém não consegue verdadeiramente livrar-se dessa ação maligna, esta pode causar danos a ele. A mente não suporta estar sob um ataque aflitivo por muito tempo. O corpo sente o estrago e logo passa a produzir reações que podem culminar até mesmo na morte. O espírito do angustiado que não conhece o Senhor pode levá-lo a cometer loucuras contra si ou outras pessoas.


Não há melhor saída para esse tormento do que ler um salmo, um capítulo dos evangelhos e abrir o coração para Deus. Então, a pessoa que não via mais sentido na vida e estava tomada de desejos maus entende que a fé pode ajudá-la. No entanto, isso não é o bastante. É preciso abrir o coração para o Altíssimo, clamar pela Sua misericórdia, invocando-O com todas as forças.


Nada de ruim que nos acontece vem por acaso. O império das trevas, depois de nos ter estudado, observado os pontos fracos, envia sua tropa para nos tentar. Se não procurarmos a ajuda divina, ficaremos sozinhos na batalha, e, com isso, o inimigo consegue penetrar em nossa vida e nos vencer. Em todas as situações, é melhor abrirmos o coração, confessarmos os pecados e seguirmos a orientação dada por Deus em Sua Palavra.


O salmista declara que, em meio à angústia, ele invocou o Altíssimo. O mesmo deve fazer quem, verdadeiramente, deseja desembaraçar-se do problema. Contudo, Deus deve ser invocado naquilo que Ele Se deu a conhecer a nós pela Sua Palavra. Não basta dizer: “Pai, ajuda-me, livra-me desta situação”. É preciso saber o que Ele diz sobre o assunto e, então, invocá-lO com a certeza de que será atendido.


Após clamar ao Senhor, o salmista foi colocado em um largo lugar. Deus dará folga a todo aquele que estiver em apuros, desde que este faça o que Ele orienta pelas Escrituras. Quem não ora segundo o que lhe é ensinado não tem o socorro do Senhor, mesmo que esteja imbuído da mais santa sinceridade. Na verdade, é a Palavra de Deus que leva o Pai a agir por nós.


O Senhor ouve aquele que O invoca pautado naquilo que Ele lhe ministrou. O fato de entender a Palavra de Deus significa que Ele já está agindo em seu favor. Então, por que não O invocar agora? Você será livre de toda ação infernal, se o fizer de todo o seu coração. O Altíssimo tem prazer em atender os que O invocam em espírito e em verdade. 


Em Cristo, com amor,

Follow by Email

PREGAÇÕES EM DVD

PRESENTEIE A QUEM VOCÊ AMA,EVANGELIZANDO COM AS MENSAGENS DOS NOSSOS CULTOS,FAÇA SEU PEDIDO ATRAVÉS DO NOSSO SITE www.igrejacvv.com.br. PARTICIPE DO NOSSO MINISTÉRIO!

ACESSE NOSSO SITE

www.igrejacvv.com.br E ASSISTA CULTOS ON LINE

Sobre nós

A Igreja Pentecostal Caminho, Verdade e Vida é uma instituição inspirada por DEUS para alcançar os corações das ovelhas perdidas da casa de Israel por toda a face da terra.
Com o evento da criação do Ministério Caminho, Verdade e Vida, o Senhor JESUS revelou ao coração do presidente Pastor Gilberto Luiz Chaves o seguimento das três portas do Santuário que Moisés realizava para a adoração do SENHOR DEUS durante o trajeto do êxodo do povo de Israel pelo deserto.
O santuário era composto com três seções para adoração, onde uma delas apenas ao sumo sacerdote era permitido pelo poderoso DEUS adentrar em adoração; A cada seção do santuário havia uma porta .
Hoje com a Graça de DEUS através de seu filho unigênito JESUS CRISTO, essas portas foram substituídas pela GRAÇA DE CRISTO QUE LEVOU SOBRE SI AS NOSSAS DORES E AFLIÇÕES, e a cada porta daquele santuário de outrora, hoje conhecemos que a 1ª porta do santuário é o CAMINHO, a 2ª porta do santuário é a VERDADE, finalmente a 3ª porta do Santuário é a VIDA.
Assim, JESUS é o Caminho e a Verdade e a Vida, como diz no Evangelho de João 14: 6, o santuário vivo do Poderoso DEUS, onde toda a adoração é devida a ele, pois, diz a sua palavra:
“Ninguém vem ao Pai senão por mim”
Desta forma Pastor Gilberto Luiz Chaves teve inspiração de DEUS a denominar A Igreja Pentecostal Caminho Verdade e Vida para realização de trabalho de evangelização e divulgação das Boas Novas a todas as criaturas dispostas a encontrar o SENHOR E SALVADOR JESUS CRISTO.
Pastor Gilberto Luiz Chaves é advogado militante com especialização em advocacia Previdenciária, formado desde 1985, exerce suas atividades profissionais seculares regularmente com escritório fixo há mais de 13 anos no mesmo local; foi batizado em 20 de junho de 1990 no Rio Jororó iniciando seu Ministério de Diaconato, quando em 2006 foi consagrado Evangelista pelo Pastor Oscar Luiz de Oliveira Presidente da Assembléia de DEUS Fonte de Amor donde concluiu então o Curso de bacharel em Teologia da Faculdade de Educação Teológica do Estado de São Paulo em 2007, iniciando o Ministério Pastoral.
A igreja Pentecostal Caminho, Verdade e Vida detém a valorosa contribuição do Pastor NELCY CHAVES, regularmente inscrito na ORDEM DOS MINSTROS DO BRASIL, homem de fé com mais de 20 anos de Ministério já Pastoreou nas Igrejas Missionária Cristã, Comunidade Ramá, Assembléia de DEUS em Gramacho e agora com mais de 80 anos de idade é colocado como ESTACA DE ORIENTAÇÃO USADO PELO PODEROSO DEUS.
A igreja Pentecostal Caminho, Verdade e Vida esta nos braços do SENHOR JESUS a esperar por todos os cansados e oprimidos para a divulgação das boas novas, pois, disse JESUS:
Mateus 11:28
Vinde a mim, todos os que estai cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei.







Arquivo do blog